Os Descendentes *filme*


Em "Os Descendentes", Matt King (George Clooney) é casado com Elizabeth (Patricia Hastie) e tem duas filhas: Scottie (Amara Miller) e Alexandra (Shailene Woodley). 

Ele é advogado e responsável por administrar o espólio da família, uma grande propriedade de terras herdada de seus ancestrais hawaianos, cuja polêmica venda a família está negociando, sendo que Matt dará a palavra final aprovando a venda (ou não) e escolhendo quem será o comprador.

Matt e suas filhas Alexandra e Scottie

Matt vive muito afastado da família. Quando sua esposa sofre um acidente de barco e fica em coma, vê-se em um turbilhão de problemas e ainda descobre que sua esposa estava traindo-o antes do acidente.

Em último: Sid (Nick Krause), amigo de Alexandra

Os Descendentes é um drama que fala de diversos tipos de morte. A morte lenta e inevitável de uma pessoa que está em coma irreversível, a morte da ilusão de um casamento estável, a morte da visão de mãe perfeita por parte dos filhos, a morte dos planos traçados para o futuro.

Matt e as filhas observando as terras da família

Todas essas mortes causam algumas transformações: um pai ausente que se torna presente, duas filhas rebeldes que se unem ao pai no momento de crise, o surgimento de novos sonhos e metas que substituem aos que foram perdidos. 
O amadurecimento de todos.

Achei esse filme suave. Apesar de todo drama contido no roteiro, os conflitos são apresentados gradualmente, bem como suas soluções, intercalados com diálogos inteligentes,  imagens interessantes e realísticas do Hawai, e uma agradável trilha sonora composta de músicas hawaianas. Um filme simples que traz vários pontos de reflexão, capaz de gerar empatia para quem gosta do gênero dramático.



Prêmiações

-Vencedor do Globo de Ouro 2012 de Melhor Filme - Drama;
-Vencedor do Globo de Ouro 2012 de Melhor Ator (Drama) para George Clooney;
-Ganhador do Oscar 2012, na categoria de Melhor Roteiro Adaptado. 

O Roteiro é baseado no livro OS DESCENDENTES, de Kaui Hart Hemmings (Editora Presença) e foi adaptado para o cinema por Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash.


Trailer

Viu, quer ver ou nem pensar? 
Comenta aqui!
Beijos...Elis.

18 comentários

  1. Oi Elis
    A chamada do seu blog me chamou a atenção. Eu vi esse filme e adorei, na minha opinião foi injusto o George não ter ganho o Oscar de melhor ator, pque foi a melhor atuação dele, mas vai saber o que pensa a Academia? Eu amei tbém pque vc ri e as vezes chora, e a paisagem é deslumbrante.
    Já vi que vc tem o mesmo gosto prá filmes que eu, por exemplo eu amo o filme Orgulho e Preconteito, já passou várias vezes na Sky, e eu assisti, até comprei-o, prá tê-lo na minha videoteca. Já estou te seguindo. Bjão.

    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana!
      Que bom te ter aqui no Passional, já que temos o gosto parecido, vamos trocar muitas figurinhas!
      Beijos...Elis.

      Excluir
  2. Elis, eu adorei esse filme! Acho que todos fizeram um trabalho excepcional nele, principalmente o George Clooney, que na minha opinião não é bom ator, mas conseguiu se entregar a esse papel. O filme tem um humor sutil e meio mórbido que eu particularmente adoro. Destacaria como melhor cena a do George tirando satisfação com a esposa em coma!!!

    Ótima Resenha!
    Bjs!

    Paulinha
    http://memyshelfandmybooks.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paulinha
      Eu achei um barato a cena da corrida no quarteirão, acho que vai ficar pra história!
      Obrigada pela visita, beijos...Elis.

      Excluir
  3. Olá Elis,
    Já tinha ouvido falar desse filme, e pelo que eu li e assistir no trailer, ele parece ser bem interessante.
    Dica anotada Elis !!!
    *bye*

    louca por romances

    ResponderExcluir
  4. Gostei do filme. Mas apenas gostei. Realmente o enredo é suave e é quase impossível não se emocionar em certos momentos. Sinceramente a atuação do Gorge Clooney foi boa, mas não o suficiente pro oscar mesmo.

    salpage.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Diego!
      Na minha opinião (leiga) para ganhar o Oscar a atuação tem que ser mais arrebatadora. Achei a atuação dele muito boa dentro do que o enredo permitia, ele saiu da zona de conforto! Talvez a partir desse trabalho, Clooney se arrisque mais em diferentes papéis e nos surpreenda. Obrigada pela visita e opinião!
      Beijos...Elis.

      Excluir
  5. Algumas cenas do filme parecem ganhar uma dimensão ainda maior em minha mente à medida que tempo passa, a sequência da piscina e a final são exemplos disso... Eu gostei muito do filme também!

    Deia uma passada pelo meu blog e confira a crítica dele depois: http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2012/02/os-descendentes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá J.Bruno !
      É interessante como é um filme simples, mas que fica sendo repassado pela nossa cabeça...
      Vou lá no seu blog sim.
      Bjs...e bom fim de sábado!

      Excluir
  6. Oi Elis!
    Não sou muito fã de drama, mas como no post você disse que é bem tranquilo, surgiu um interesse em assisti-lo.
    E eu adoro música hawaiana, portanto, mais um ponto positivo! haha :)

    Muito boa a sua resenha, adorei!
    Beijocas.
    www.artesaliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rafa!
      É tranquilo sim, eu nem chorei, e olha que choro até com desenho animado! Beijos...Elis.

      Excluir
    2. Oi Elis!
      Ainda não tive a oportunidade de ver o filme, mas todos falam tanto dele, tanto positiva quanto negativamente, que quero assistir para tirar minhas próprias conclusões!!
      =)

      Excluir
    3. Isso mesmo, é ver pra crer !
      Depois me conta o que achou.
      Beijos...Elis.

      Excluir
  7. Querida, estamos com uma promoção lá no blog.. Passe lá e confira.. http://mundodassombraslivros.blogspot.com Beijinhos ;**

    ResponderExcluir
  8. Elis, eu adorei a resenha e o filme! Como eu amo a filha mais velha dele! hehe...

    As pessoas tinham me falado muito mal do filme e demorei a assistir por causa disso, mas acabei me surpreendendo.

    Ju
    entrepalcoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju
      É muito bom quando nos surpreendemos, pelo menos quando a surpresa é boa rsrsrs!
      Beijos...Elis Culceag.

      Excluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!