[Resenha] O Nome do Vento

O Nome do Vento - Patrick Rothfuss

O Nome do Vento - Patrick Rothfuss
A Crônica do Matador do Rei - Livro 01
Sinopse - Editora Arqueiro - 2009 - 656 páginas


Arrebatada por um bardo*! Em O Nome do Vento, logo nas primeiras páginas temos o mapa que irá nos guiar pelo longo percurso que iremos seguir, então vamos colocar nossa mochila nas costas e pé na estrada pois a viagem será densa... Primeira parada: Pousada Marco do Percurso, é daqui que partiremos rumo aos Quatro Cantos, não antes de ouvir uma primeira história e vivenciar outra, e não se preocupe se os demônios estão a rondar, pois Kvothe ao seu lado está. Kvothe, sobretudo um bardo.

*Um bardo, na história antiga da Europa, era uma pessoa encarregada de transmitir as histórias, as lendas e poemas de forma oral, cantando a história de seus povos em poemas recitados. Era simultaneamente músico e poeta e, mais tarde, seria designado de trovador. É a principal raiz da música tradicional irlandesa. O bardo usava frequentemente um alaúde para tocar suas melodias e músicas, que contavam na maioria das vezes uma história triste. 

Essa é uma das facetas da personalidade do apaixonante protagonista Kvothe, um bardo por excelência, que nos embriaga com sua própria saga, desde sua infância entre artistas itinerantes Edena Ruh até a Universidade de magia, neste “primeiro dia”. 

De quantos silêncios se faz um homem? O silêncio dele é imenso, pois é repleto de todas as coisas que viveu. Através dos olhos de Kvothe, observamos suas escolhas, seus motivos, sentimentos contidos, ansiedades omitidas, seus medos, ingenuidade, paixão, determinação, mas sobretudo o fogo que o move e percebemos que é o universo masculino que se revela. 

No início o vento o move para a magia, a tragédia lhe remove a vida para apenas sobreviver nas ruas de Tarbean, quando uma história traz a lembrança do nome: Chandriano, nome que instiga vingança e devolve a vida, que lhe reconduz à magia, ao amor e novamente ao nome do vento. 

Deslumbrante, Denso, Inesquecível...

Esqueça a tradicional jornada do herói, seria preciso no mínimo uma tripla conexão dela para adequá-la a Crônica do Matador do Rei, pois a leitura é rica, grandiosa, repleta de referências tanto ancestrais como medievais, mas sobretudo ao bom intérprete é uma alegoria da atualidade, em que um mundo hostil é desbravado e descrito sob o ponto de vista do garoto que se transforma em homem diante de nossos olhos.

Caminhamos com esse garoto que nos encanta, surpreende, comove, emociona, e inspira diante de sua determinação, força e capacidade de superação. 

Rothfuss cria com maestria e habilidade ímpar um enredo de extrema profundidade emocional, seja na exposição dual da personagem, ao ressaltar tanto seus defeitos quanto suas qualidades, ou nas interposições ao desmistificar a própria história:

“Seria bonito dizer que nossos olhos se cruzaram e eu me desloquei com desenvoltura para o lado dela. Seria bonito dizer que sorri e falei de coisas agradáveis, em dísticos rimados de cuidadosa métrica, como o Príncipe Encantado de um conto de fadas. Infelizmente, a vida raras vezes tem um roteiro tão bem traçado. A verdade é que simplesmente fiquei parado.”

Raízes do desconhecido: O Chandriano.

Uma das grandes buscas de Kvothe neste primeiro tomo, é O Chandriano, alegoria que envolve amor, magia, morte e vingança; serão esses os mesmos elementos que moverão indiretamente a trama: Quem conhece o verdadeiro nome das coisas tem domínio sobre elas, qual é o verdadeiro nome do vento? Quem são os inimigos do Chandriano, como descobrir sem ter acesso aos livros antigos? Quais são as sete palavras para conquistar o amor de uma mulher?

Mistério, descobertas, conhecimentos arcanos, tradição oral, antigas baladas e sagas coligadas, ervas milagrosas, a arte dos alquimistas, a poderosa siglística das runas, canções infantis nada pueris:

“Quando na lareira azula o fogo,
O que fazer? O que fazer?
Correr para fora e se esconder”
“Se a luzente espada enferrujar,
Em quem confiar? Em quem confiar?
Sozinho permaneça; como pedra enrijeça.”
“Viu um homem que rosto não tem
Andar qual fantasma aqui e além?
Qual é o seu plano? Qual é o seu plano?
Chandriano. Chandriano.”

Mesmo diante de um desfile de incríveis e bem desenvolvidas personagens que destacam-se, desde irônicos até bizarros, nos agarramos em Kvothe, ele nos guia, nos arrebata, é absoluto como protagonista, seja na Pousada Marco do Percurso relatando os fatos ao cronista, na Taberna “Eólica” tocando seu alaúde e cantando com sua voz de trovão, na Universidade com Elodim ou em Trebon, é com ele que queremos estar, torcemos por ele e Denna, lhe somos tão dedicados quanto Bast, pois todo o restante emana dele e por ele.

Assim, devoramos a leitura de um só folego, e ao chegar aos últimos capítulos passamos a ler devagar para que não acabe, definitivamente fisgados, que venha uma saga de 10 volumes como esse. 

Como trata-se de uma trilogia, sabemos que graças a Rothfuss ainda temos muitas surpresas pela frente, se neste “primeiro dia” nosso Kvothe nos relatou sua infância e juventude, no segundo dia dizem os boatos que ele se superou, então que venha o terceiro dia, ora que venham 365 dias e então será: “Eternamente Kovthe”.

Eu disse que fui arrebatada por um bardo? Recomendadíssimo!
Bem vindos à estrada, beijos dos Quatro Cantos!

Série A Crônica do Matador do Rei


#3 The Doors of Stone - sem previsão

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Arqueiro.
Aguardamos seus comentários! By.:.  

27 comentários

  1. Parece muito interessante. E tem um título chamativo.

    Gostei da resenha ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina,
      Se gostar de fantasia ele é perfeito.
      Bjo!

      Excluir
  2. Achei tão legal esse livro! Tenho que ver se arrumo é tempo pra ler, porque pequeno ele não é. Muito bom *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris,

      Arrume tempo para apaixonar-se, ele vale cd página.
      Bjus!

      Excluir
  3. Bom dia amiga sempre trazendo novidades.
    Adorei a resenha. Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Toninha,

      Sempre amiga, bacana seu carinho.

      Bjo!

      Excluir
  4. Owwwwn, não acredito que leu antes de mim!!rsrs
    tenho esse livro aqui faz tempooo, contudo como sei que é uma trilogia quero ter os outros para começar a ler, pois sei que irei amar e quando acontece isso quero ler um atrás do outro!!
    O meu ainda está embalado rs depois da tua resenha fiquei mais ansiosa,espero conseguir comprar o segundo ainda esse ano!
    Beliscões carinhosos da Máh-
    Felicidades nos Livros
    Coisas que me Acontecem
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Máh,

      Em breve a resenha do temor do sábio, será que vc vai resistir esperar até 12/2013 ?

      Bjo!

      Excluir
  5. Oi Elis,
    Sempre vi vários comentários positivos sobre esse livro, mas ainda não tinha me empolgado pela leitura, mas quando li "Deslumbrante, Denso, Inesquecível..." Aaaa fiquei querendo ler logo esse livro e descobrir mais sobre ele. Parabéns pela excelente resenha, me conquistou :)

    Beijinhos
    Renata
    http://escutaessa.blogspot.com.br
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Renata, o mérito é da minha sócia Rosem Ferr que fez a leitura e essa resenha maravilhosa, beijos!

      Excluir
  6. Caramba Elis,
    depois de ler sua resenha eu fico me perguntando porque deixei de lado o livro.
    Eu comecei a leitura de O Nome do Vento, me apaixonei de cara por Kvothe, mas por algum motivo, que não lembro, parei a leitura lá pela página 200 e alguma coisa.
    Preciso voltar a ler.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vanessa, quem leu e resenhou o livro foi a Rosem Ferr. Mas retorne a lê-lo sim, porque pelo entusiasmo da minha amiga a Trilogia vale muito à pena.
      Beijos!

      Excluir
  7. O segundo volume dessa trilogia já foi publicado? Por que já faz um tempinho que eu ouço falar desse primeiro, parece ser muito interessante mesmo, mas não quero ler sem estar completo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris!
      O segundo livro já foi publicado, chama-se "O Temor do Sábio", a Rosem Ferr estará lendo e resenhando aqui em breve. Apenas o último volume ainda não foi publicado.
      Beijos!!!

      Excluir
  8. Estou aguardando para ler a série, porque depois segue O Temor do Sábio e o terceiro The Doors of Stone. Vou aguardar chegar todos para que eu possa comprar a série e ler a história sem ficar esperando pelo próximo livro. Gostei muito da resenha. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. A resenha é muito boa e me deixa com mais vontade de ler o livro. Ganhei o livro e não li. Gosto de fantasia medieval/fantástica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Celso,

      Então começe ja, é totalmente fantasia medieval.

      Excluir
  10. O livro é muito muito bom. Estou lendo o segundo e logo logo vou fazer uma resenha dele lá no blog. Foi uma das surpresas mais legais desse ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ace,

      Concordo contigo, vou ler o Temor em breve, + ja sei que será absoluto, Rothfuss é o cara.

      Excluir
  11. Parabéns pela resenha, bom agora estou com mais vontade de ler o livro, então correndo para comprar!
    bjus!!!

    ResponderExcluir
  12. Muito boa a resenha,me deixou com vontade de ler o livro!!

    ResponderExcluir
  13. Muito bao a resenha, e a capa do livro é linda sem falar no nome bem interessante, agora eu quero ler muito.

    ResponderExcluir
  14. Adorei fiquei encantada com a resenha e com o seu intuiasmo com este livro , já tinha vontade de lê-lo mas ainda nao tive a oportunidade , tambem ja vi algumas resenhas positivas .Quer muito ler.

    ResponderExcluir
  15. Os dois melhores livros que já li. O Nome do Vento e sua continuação O Temor do Sábio. Sentimentos conflitantes. Um livro que as vezes te deixa triste. Que amarga seu dia. que te deixa alegre, esperançoso, uma miríades de sentimentos....

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!