[Resenha] Colin Fischer

Colin Fischer - Ashley Edward Miller e Zack Stentz

Colin Fischer - Ashley Edward Miller e Zack Stentz
Sinopse - Editora Novo Conceito - 2014 - 176 páginas


Colin Fischer não é um garoto de 14 anos comum, ele tem Síndrome de Asperger que causa pensamento amplo, problemas com comunicação, dificuldade de entender gírias e de fazer amigos. Ele está no 1º ano do Ensino Médio, mas os outros alunos não querem ser seus amigos porque o acham estranho. Colin sempre anda com cartões de expressões faciais em sua mochila, pois de vez em quando não consegue entender os sentimentos das pessoas apenas pela expressão do rosto.

Um dia, durante uma festinha de aniversário que acontecia no refeitório da escola, uma arma foi disparada. Colin foi o único aluno que não saiu correndo após o tiro, então ele decidiu investigar o responsável pelo disparo. Todos (inclusive a diretora e a polícia) pensam que foi Wayne Conelly, mas Colin tem certeza que não foi ele e quer provar isso a todo custo.

Colin conseguirá provar sua teoria?

“Às vezes, obtemos respostas a perguntas que nunca pensamos fazer. E, às vezes, as respostas nos fazem desejar nunca ter feito as perguntas, em primeiro lugar.”

O que dizer sobre esse livro? A leitura, que começou lenta e cansativa, acabou meio que “Uau”!!! Quase desisti, mas depois agradeci quando cheguei no final, pois o livro, mesmo com alguns pontos negativos, me surpreendeu positivamente.

O que me deixou com o pé atrás no começo, foi a narrativa que não me agradou muito, achei séria demais, sem humor, talvez se fosse um pouco mais leve a história pudesse fluir melhor. A narrativa melhora bastante na segunda e terceira parte do livro, quando o disparo acontece e passa a ser investigado.

O excesso de descrições também me cansou, cada vez que alguém passava na frente do Colin, ele descrevia até o "DNA" da pessoa, mas me acostumei com isso depois de um tempo e passei a entender a cabeça do personagem, nem me irritei mais quando ele mudava o rumo da conversa pra explicar algum fato. Colin mudou um pouco durante a investigação, pode até fazer um amigo!

O livro contém muitas notas de rodapé, a maioria delas tem alguma coisa a ver com Colin, por exemplo: se uma teoria está sendo explicada, ao final da nota tem a opinião de Colin sobre o assunto. Um fato interessante da diagramação é que todas as palavras que representam emoções são escritas com fonte diferente do resto do texto, o que é bem legal.

Colin carrega um caderno onde anota as coisas diferentes que percebe, coisas que acha interessante e a personalidade das pessoas que conhece, também anota tudo o que acontece no seu dia, como fatos para investigar depois. Todo início de capítulo tem um trecho do caderno dele, narrado em 1ª pessoa e o restante da narrativa é feita em 3ª pessoa. Durante a história Colin também cita alguns filmes e seriados (que o leitor com certeza já viu ou ouviu falar), comparando as coisas que acontecem na escola com as cenas que assistiu.

No fim esse livro me agradou, bastou eu ter um pouco de paciência no começo, pra depois aproveitar uma boa história! Recomendo para quem gosta de um mistério mais juvenil.

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Novo Conceito.
Aguardamos seus comentários! Beijos...

21 comentários

  1. Estou bem interessada nesta leitura, Samantha. Cada vez mais os dramas adolescentes me encantam, tenho lido um atrás do outro... Extraordinário, Leonard Peacock, Fale!, A Maravilha das Pequenas Coisas... indico todos.
    Colin deve ser bem curioso, quero acompanhar essa história, saber mais sobre a síndrome de Asperger e descobrir o mistério antes do fim.
    Capa linda, né?

    Ler para divertir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Umas das coisas mais legais desse livro é descobrir sobre a síndrome de Asperger, tenho certeza que vai adorar!

      Excluir
  2. Oi Samantha. Este livro não me chamou a atenção, pra ser sincera. Mas que bom que você foi persistente e gostou dele no final. Adorei a citação que você fez no início da resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oie Samantha! Confesso que estou curiosa para ler esse livro. A capa dele é diferente e isso me chamou a atenção, pela resenha pude perceber que ela retrata bem a história de Collin. Outra coisa que me chamou a atenção foi o fato de trabalhar com a síndrome de Asperger, é algo muito interessante que por vezes passa despercebidos a nós. O que me desanimou foi o fato da narrativa ser muito séria, creio que já não é tão fácil ler uma obra assim, uma vez que o Collin tem pensamentos variados e dispersos e é necessário que isso seja introduzido no texto, mas uma narrativa muito séria, torna o clima pesado e cansativo. Mas ainda assim pretendo ler o livro. Sua resenha ficou ótima!

    Beijos!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa desse livro é linda, também me chamou a atenção!

      Excluir
  4. Não me interessei muito pela trama do livro. Além disso, a narrativa lenta e as descrições super detalhadas me deixam cansada. Acho que não iria gostar do livro.
    Mas, que bom que o livro melhora da segunda para a terceira parte.

    ResponderExcluir
  5. confesso que apesar de trazer uma temática interessante, não é um livro que me atraia, é uma questão de não ter me identificado
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não mi interesso por esse livro não...
    Todos falam super bem do livro e tal mais não consigo mi deixar louca por ele :(
    mais quem sabe um dia eu não leia???
    Gostei de suas resenha!!!

    ResponderExcluir
  7. Faz tempo que eu ouço falar do livro mas é a primeira resenha que vejo, me deu vontade de ler. Não sabia que ele era investigativo, adoro isso :D
    Samanta acho que a monotonia no inicio que você disse que achou muito serio e tal, foi intencional, tipo pra passar a ideia de como é conviver com portadores da Síndrome de Asperger, porque eles acabam aparentando ser pessoas monótonas e sérias, mas após nos aprofundarmos num relacionamento com eles vemos que no fundo eles são muito inteligentes e interessantes.
    Beijos ♥

    Conversas de Alcova

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro investigação! Pode ser que a monotonia tenha sido intencional mesmo.

      Excluir
  8. Ao ler a resenha lembrei de um livro que li e amei: extraordinário.
    Achei a estória linda e cheia de lições e creio que está não é diferente.
    A diferença é que o livro é maravilhoso desde o início.
    mas fico feliz em saber que a estória deslancha!
    Adorei Colin e seu ato de defender o principal suspeito do crime e que ainda nem é seu amigo, vamos dizer assim...
    Esta síndrome é verdadeira pelo que pesquisei... aprendemos muito com o livro pelo visto.
    Gostei muito!

    ResponderExcluir
  9. Bom saber que precisarei de paciência no início do livro. Eu não tinha muito interesse no livro, mas estou mudando de ideia.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Não gosto muito de livros com início moroso e minha paciência para eles ultimamente está bastante escassa, então é melhor evitar esse livro por ora.
    Mas achei a temática bem diferente por se tratar de um protagonista com uma síndrome pouco explorada na literatura. Fiquei curiosa pra saber como a autora explorou esse elemento, sem falar na parte do mistério, pois gosto bastante de livros com mistério no meio do seu enredo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Samantha!
    Não tenho muito interesse por esse livro, apesar de achar interessante a temática. Acho que eu sairia da minha zona de conforto com a leitura, o que acho até bom, mas é melhor deixar para quando eu tiver mais tempo, assim posso ler com mais calma e não me chatear com o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Samantha o fato de vocẽ ter achado estranha as sensações e relcionamentos descritos pelo personagem se dão pelo fato de ele ter Asperger, não seria se ele agisse de forma diferente. Acho que o autismo e suas diversas fases e graus são bem tratadas em livros como este e Passarinha. Como eu assiti um desenho animado com um personagem que tem Asperger não estranhei o que você descreveu aqui, pelo contrário, me estimulou ainda mais a vontade de lê-lo. O desenho: Mary and Max, nele o Max tem Asperger e uma das cenas ele descreve que quando pequeno também tinha uma cartela com as expressões faciais e o que elas queriam dizer, assim como o Collin.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca assisti esse desenho, mas achei bem interessante o que você falou!

      Excluir
  13. Boa Tarde! Sua resenha está muito explicativa e que bom que você avisou sobre o começo meio cansativo da leitura. Não conheço muito sobre a síndrome de Asperger, mas o livro parece explica-la muito bem. Quando ler pelo menos metade da lista de livros que tenho aqui, tiro um tempinho para "Colin Fischer" :)

    ResponderExcluir
  14. Gostei da forma que a resenha foi escrita, bem simples e sincera, mas o livro não chamou minha atenção.

    ResponderExcluir
  15. Imagino que a leitura deve ser dificil mesmo, até porque pelo que entendi a autora quis tratar um pouco mais do problema dele. Mas achei legal essa pega de a pessoa mais "diferente" da turma ajudar a solucionar uma investigação

    ResponderExcluir
  16. A união desses dois autores que já fizeram grandes trabalhos na televisão americana e no cinema só poderia resultar em um livro diferente.
    Collin Fischer é mais um livro que tem um personagem com uma síndrome e que apesar de tudo leva uma vida com base nos limites que lhe são impostos, achei genial ele investigar para provar que não foi Wayne, mesmo que o menino o tenha feito sofrer antes e ainda pegasse um pouco no seu pé.
    O quarto de Collin também é fantástico, queria para mim, todas as citações de séries e filmes me fizeram entrar mesmo no livro, pois já vi e acompanhei a maioria das coisas citadas, os cartões de memorização para as expressões foram fantásticos, e a descrição detalhada de tudo que o personagem via é uma das condições de quem possue Asperger, a falta de humor também pode se explicar por ser um outro sintoma, pessoas com essa síndrome não conseguem entender humor ou sarcasmo e ainda tem sérias dificuldades com linguagens corporais e faciais.
    A capa é perfeita ao tema do livro, o mistério e o desenvolver da história também são muito bem feitos pelos dois autores, gostei muito do livro e dos personagens, se tornou um favorito por apresentar uma história simples com elementos que me prenderam a história e me fizeram conhecer um pouco melhor as pessoas com a síndrome de Asperger e procurar saber mais sobre a mesma.
    As notas de rodapé também foram fundamentais e um elemento muito útil, enfim a Novo Conceito mais uma vez fez um trabalho excelente com toda a edição do livro, espero ler mais coisa de Ashley Edward Miller e Zack Stentz!

    ResponderExcluir
  17. oi!
    o livro por se tratar de um personagem com uma síndrome nos dá uma visão diferente e faz que conheçamos sobre ela (a síndrome). Não gosto de livros muito descritivos, perco a paciência, e a narrativa parada só é mais um ponto negativo do livro, mas no fim compensa a leitura.
    bjs

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!