[Resenha] A Música do Silêncio

A Música do Silêncio - Patrick Rothfuss

A Música do Silêncio - Patrick Rothfuss
A Crônica do Matador do Rei - Livro 2.5 (conto)
Sinopse - Editora Arqueiro - 2015 - 144 páginas


Patrick Rothfuss tem a incrível capacidade de nos deslocar do lugar comum, neste conto sua escrita mágica e profunda nos leva a uma viagem aos subterrâneos de Temerant – 30 metros abaixo da Universidade de Imre – esse é o mundo de Auri, a garota misteriosamente exilada da Universidade de Magia, que guarda em seu amago dilacerado e distorcido o segredo sobre a essência das coisas.

“ Quando ela corria, o cabelo a seguia, esvoaçante como uma flâmula.” 

Na poderosa narração em 3ª pessoa sob o ponto de vista de Auri, o Sete e o Três de Rothfuss ressurgem: 7 dias e três coisas...

“ Sim. Tinha certeza. Ele chegaria para uma visita no sétimo dia.”
“ Eram três coisas. Ele traria três, ela deveria fazer o mesmo. Três três perfeitos...”

Aqueles que acompanham a série “A Crônica do Matador do Rei”, que já resenhei aqui e aqui, sabem quem é “Ele”, bem como o “poder” dos sete, aliás há inúmeras referências dos livros neste conto, começa pela visita “dele”, sempre mencionado por um código cifrado, tanto que sua ausência é uma poderosa presença [Kvothe... suspiros forever], a alquimia, Mandrag, Tinidos, a Porta Negra, etc... De modo que nem faço ideia de como pode ser a leitura de “A música do Silencio” para quem não leu ao menos “O nome do vento”, no entanto pode ser um ótimo petisco para adentrar ao sensacional mundo criado por Rothfuss.

A sensibilidade e densidade com que o autor retrata o universo feminino é notável, reflete a polaridade “fragilidade/força” de Auri com maestria, mesclando atitudes características da síndrome de Asperger a condutas de pura ansiedade feminina, nos lançando em uma jornada de 11 capítulos nos quais somos envolvidos em seus dias perfeitos de achar, rodar, queimar, fazer, produzir, ou seja, em sua forma pessoal de executar o ritual feminino que antecede um encontro “muito especial”.

A ritualística de Auri, é a licença poética do autor para desvelar a natureza enigmática e anti-social de sua personagem, nestes sete dias iremos descobrir muitas de suas facetas que nos eram ocultas, nas entrelinhas vislumbraremos um pouco de seu passado, habilidades, convicções, medos, paixões e desejos... hummmm! E a garota frágil vai revelar-se uma fêmea poderosa.

A ambientação é pontuada de ilustrações que nos inserem no clima fabuloso de lugares incomuns e objetos com personalidade AhAhAh!

A belíssima capa revela a Auri de nossos sonhos: Solitária ela aguarda ele, acima dos telhados ao lado de sua árvore de acesso e o vento dança em seus cabelos… Particularmente creio que a solidão que ela vive é plena, pois repleta de significações, ela esta além do vulgo comum, afinal é uma alquimista, e pelo visto tem um propósito...

“Rodopiou três vezes. Farejou o ar. Sorriu. À sua volta, por toda parte, tudo estava perfeitamente correto. Ela sabia exatamente onde estava. Estava exatamente onde devia estar.”

O final é linnnnnnnndo, perfeito... e mais uma vez fui “encantada” pelo mestre Rothfuss, equiparo os sete dias de Auri ao ritual revelado da raposa de Exupéry, ou seja, mágico. Assim só lhes digo três coisas:

Amei, Amei, Amei!

Série A Crônica do Matador do Rei


#3 The Doors of Stone - sem previsão

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Arqueiro.
Aguardamos seus comentários! By.:.  

16 comentários

  1. O que posso dizer,concordo com vc apesar de ter alguns pontos que não saltaram a minha percepção enquanto lia como: não conseguir encaixar o atributo "fêmea poderosa" na personagem Auri. A verdade é que Rothfuss é sim um mestre da fantasia e mesmo a falta de diálogos e ação presentes nesse livros foram capas de me conquistar. Adorei saber mais sobre Auri e como sua mente funciona. A presença "velada" e sutil de Kvothe foi o que mais me animou, suspiros eternos para ele. Além disso este livro me deu uma vontade imensa de reler os anteriores, mas terei que esperar um tempo pois quando lançar o terceiro quero ter a história fresca em minha mente. http://blogliterata.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Rosem! Oi, Elis!

    Sou louca para ler essa série... Tanto as capas quanto a história em si me cativaram. Não sabia que "A Música do Silêncio" era um conto, muito bacana. Espero ler os três livros em breve, pois sua resenha me deixou ainda mais empolgada.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Rosem,

    Ainda não os outros livros,então fiquei com um pouco de medo de pegar spoilers ><
    Em breve vou começar a ler essa série :)
    Beijos

    Cantinho da Bruna | @cantinhodabruna

    ResponderExcluir
  4. Eu fiquei fascinada por esse livro quando vi no catálogo da Arqueiro. Só a capa me fez ficar imaginando sobre o que seria a estória; ah, essa capa... Uma garota em cima de uma árvore, observando uma cidade... Só podia haver algo muito bom para ser ilustrado assim. Mas eu não sabia que o livro fazia parte de uma série. Apesar de ser um conto, e como você disse, não é tão necessário fazer a leitura do livro anterior, vou procurar ler a série na sequência certinha. Minha vontade de começar a série o mais rápido possível esta tipo nível 1000.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nenhum livro dessa série, parece ser ótima, curto muito aventura e fantasia, fiquei bastante interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  6. Ah infelizmente não me empolguei com o livro, ainda não tinha lido nem a sinopse embora tenha me apaixonado pela capa.

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  7. Eu diria que a dica do Rothfuss foi boa: se quer conhecer meu mundo comece pelos outros. Apesar de ter gostado da leitura de A Música do Silêncio ele é um livro que pede sim um conhecimento prévio e que se pego, principalmente, por alguém que não é do gênero pode não gerar interesse no resto da série que é muito boa.
    A narrativa desse grande conto é diferente do habitual, é mais poética e sensível, um tanto louca, porém agradável. E é claro, para uns mais envolvente que para outros, como foi o seu caso: a empolgação está visível em cada palavra. Gostei de ter essa visão mais sensível do livro.

    Saudações,
    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi! Não sabia que esse livro fazia parte de uma série e me senti um pouco perdida no meio da resenha, acho que tem pontos que eu só entenderia vendo a resenha do primeiro livro. A capa é lindíssima e me lembra a solidão, parece que esse livro é um pouco sentimental. Mas gostei do lado da fantasia, sou apaixonada por esse gênero.

    ResponderExcluir
  9. Poxa vida! Eu realmente esperava algo desse livro, mas também o que você disse na resenha não me surpreendeu, o Patrick tem dessas coisas de valorizar muito os dotes artísticos de um personagens, ele pode passar páginas detalhando a feitura de um sabonete,o autor fez muito isso no O Temor do Sábio

    Dá Uma Passadinha Por Lá: http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá Rosem,
    apesar de não saber nada sobre a história, sempre tive vontade de ler essa série, só por causa das capas divas (sim, eu julgo pela capa :/). Pelo menos agora eu sei o que essa significa: Auri aguardando ele, na árvore, e o vento dançando em seus cabelos... Muito legal!
    Que bom que você gostou do final, continuo com vontade de ler a série :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. A primeira vez que li esse livro, me encantei de cara. Mas na época, não fazia ideia de que fazia parte de série, até ler uma resenha sobre ele num outro blog. Aí acabei ficando com o pé atrás, com medo de ficar boiando em algumas partes da história por não ter lido os outros livros.... Mas não descartei a possibilidade de lê-los não. Parecem ser muito bons!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  12. desculpe a ausência, mas estava sem net!
    desde que vi esse lançamento queria ler uma resenha para ter uma perspectiva da história e estou com aquela impressão boa de que será um livro maravilhoso em todos os sentidos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Rosem!
    Não sei se pelo fato de não ter lido os outros livros da série, nem resenha alguma sobre eles, fiquei um tanto 'perdida' e sua resenha...
    Como gosto de livros de fantasia, fiquei interessada na leitura, principalmente porque o título do livro é bem sugestivo e porque fala um pouco sobre a solidão que vem de uma doença.
    Aproveite o feriadão com moderação e amor no coração!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi :D

    Bem, também não li nenhum outro livro da série, e não me lembro de ter lido nenhuma resenha então me senti um pouco perdida.. Mas ainda assim não senti vontade de saber mais sobre os livros. Gosto quando os autores dão um destaque maior para as protagonistas feminias as tornando mais forte, mas não consegui identificar isso nesse livro! Infelizmente esse eu deixo passar. Se tiver a oportunidade irei ler, talvez mude de idéia !
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Li os três. Fiquei bem impaciente e tentando entender o livro no primeiro cap o que me causou frustração e um certo desprezo pelo livro. No segundo eu notei. Não se deve tentar entender, apenas aceitar e aproveitar. ele me fez ver coisas por ângulos bem interessantes.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!