[Resenha] A Torre Partida

A Torre Partida - J. Barton Mitchell

A Torre Partida - J. Barton Mitchell
Saga da Terra Conquistada - Livro 02
Skoob - Editora Jangada - 2015 - 384 páginas


Em A Torre Partida, mais uma vez J. Barton Mitchell nos arrebata em uma das melhores aventuras pós-apocalípticas que já tive o prazer de ler, suas personagens são densas e complexas, sua ambientação extraordinária e inquietante. A temática da invasão alienígena, é um dos fantasmas que transita no inconsciente coletivo da humanidade, deste modo, sob tensão constante, somos fisgados a um mundo tecno-mágico e selvagem, repleto de desafios e perigos, nos garantindo imersão total.

A narração em 3ª pessoa intercala os pontos de vista de Mira, Holt e Zoey, repleta de diálogos eloquentes e bem articulados, que solucionam harmoniosamente a complexidade do conteúdo, que fica “suave” e dinâmico.

Prosseguir ou desistir, juntos ou separados, escolher o passado ou o presente? São tantos dilemas...

Na primeira parte deste volume II, as emoções à flor da pele do estonteante final do volume I - Cidade da Meia-Noite (resenha aqui) - vêm à tona, o que tonifica a exposição interior das personagens, suas dúvidas, anseios e inquietações e Mitchell articula isso com uma verossimilhança tão delicada e profunda que nossa identificação é imediata, e o resultado é que as explosões emocionais de Mira e Holt são UAU! Quase palpáveis.

“Por que? – Se ela apenas respondesse isso, ele ficaria ao lado dela o quanto fosse preciso, fosse útil ou não, se morresse ou não. Se ela simplesmente lhe dissesse isso, ele ficaria. Ela não respondeu. Sustentou o olhar dele por um segundo, em seguida desviou o olhar. Holt se levantou, a raiva borbulhando.” 
“Zoey estava certa, Holt não tinha sido ele mesmo nas Estradas Transversais, e a explicação dele sobre a ligação com o Bando, as escolhas que tinha feito e com as quais tinha vivido... Bem não era tão fácil odiá-lo por nada disso agora. Ela suspirou e fechou os olhos. Por que tudo não podia ser mais simples?” 

No decorrer dos capítulos, a base filosófica da saga fica bem definida: para sobreviver é preciso ser forte, vencer os próprios medos, e principalmente transcender o si mesmo. Assim iremos observar a fantástica evolução das personagens em sua auto-descoberta, pois a caminho da Torre Partida eles percebem que além do “si mesmo” existe “o outro”, e neste sentido, a abordagem do autor é brilhante na relação que faz entre o individualismo e o coletivo moldado pela unicidade:

“Força! Força! Força! Os Hélices entoavam enquanto Zoey se aproximava, fazendo-a se espremer contra Holt instintivamente.” 
“Qual é o primeiro dos Pilares, perguntou Gideon?
Os Hélices responderam imediatamente enchendo o Cânion com sua voz:
– Nós somos o que pensamos que somos!”

Em torno desta estrutura de transpessoalidade, dotada de profundo conteúdo ao público YA, somos nocauteados por muita ação e extrema aventura, os Confederados não dão fôlego para nossos heróis, e agora fica claro que são perseguidos por duas facções com um único objetivo: capturar Zoey e destruir tudo que estiver no caminho... que não é a estrada de tijolos amarelos hahaha!

Bem-vindos às Terras Estranhas... Um universo paralelo, repleto de anomalias que consistem em inúmeros perigos mortais, tempestades de íons, de antimatéria, seres de matéria escura, cubos de Tesla, tornados de energia negra, mutação e fusão de matéria em construções surreais magníficas. Lá nossos heróis encontrarão Ben, Ravan e o Bando, Gideon, Avril, Dane e os Hélices brancas com seus cristais e saltos quânticos, a Realeza, o Imperador, e artefatos mágicos poderosíssimos. Unidos eles travarão a pior de todas as batalhas contra os Confederados e enfim conhecerão a verdade sobre a Torre Partida e os poderes de Zoey.

Os últimos capítulos são eletrizantes, angustiantes, estarrecedores, dilacerantes, comoventes, e o final... surpreendentemente sensacional, com sabor de quero mais... Muiiiiiiiito mais.

“Neném – Chamou Holt, olhando para ela – Você não tem que fazer nada disso, você sabe. Não se não quiser.”

Cativante, genial e inesquecível.

Saga da Terra Conquistada


0,5) Winterbay (2013) - Baía Invernal (2014) * Epub Grátis na Saraiva
1) Midnight City (2012) - Cidade da Meia-Noite (2014)
2) The Severed Tower (2013) - A Torre Partida (2015)
3) Valley of Fires (2014) - Vale das Chamas (2015)
Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Pensamento.
Aguardamos seus comentários! By.:.

14 comentários

  1. Rosem, um livro que consegue prender tanto assim é super bom, mas não sei se funcionaria para mim
    agradeço a dica de toda a forma
    Quando der, de uma passada no blog, adorarei sua visitinha!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Uma história muito interessante, deve ser muito boa esta série mesmo.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Rosen!!

    Ainda não conhecia a saga,mais acompanhei na descrição da primeira parte deste volume II, as emoções do final do volume I - Cidade da Meia-Noite , e inclusive gostei bastante da trama,Holt e Mira parecem ser ótimos personagens.e também não posso deixar de destacar que um mundo invadido por alienígenas, e a população lutando pela sobrevivência ,é bem mais fácil de se ver em histórias de filmes ,e se deparar com um estória dessa em um livro , pra quem gosta é impossível não se amarrar , e ainda mais nesse 2º volume como você bem destaca é tensão constante,uma das coisas que me deixou mais intrigada ; o desfecho da sua resenha me deixou bastante curiosa,saber enfim a verdade sobre a Torre Partida e os poderes de Zoey. O.O
    gostei muito da resenha.

    *----*

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    A capa é instigante...mas o assunto não me chama atenção!
    Não curto muito essas histórias de alienígenas...que vc tem que lutar, matar, para sobreviver...
    Acho muito cansativa a leitura, mas pela sua resenha, esse parece não ser assim...quem sabe se um dia eu tiver a oportunidade de ler eu venha a mudar de ideia né?
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pela dica, mas esse estilo não funciona comigo.
    Boa resenha, dá para perceber o quanto vc gostou!

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li o primeiro livro Cidade da Meia-Noite, curto muito Ficção Científica e essa saga parece ser ótima, mais livro pra lista de leitura que só aumenta

    ResponderExcluir
  7. Rosem!
    Séries pósapocalipticas tem sempre uma realidade onde a luta pela sobrevivência predomina.
    Como adoro ficção, é mais uma série para entrar nos desejados...
    Adorei sua resenha.
    “Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Tenho que ler o livro 01 antes, não sei se eu gostaria tanto do book mas uma amiga minha ia amar, faz mas o estilo de leitura dela ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que resenha! Ainda não conhecia esses livros, mas como esse cenário pós-apocalíptico me agrada demais, não tenho dúvidas de que vou gostar dos livros. Isso de lutar pela sobrevivência sempre me agradou como enredo para livros, filmes e séries. Já foram para a minha lista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu fiquei tipo "Uau, melhor resenha!" haha Sério, Rosem conseguiu falar tudo sobre o livro mas sem soltar um spoiler gigantesco, o que é difícil de se fazer com um segundo volume de uma saga. Mas enfim, não lembro se li a resenha do livro #1, mas essa distopia me interessa e muito! É o primeiro que vejo com a temática de Invasão Alienígena, e acho isso fantástico. Certeza que vai pros desejados.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Rosem!
    Então, gosto muito de YAs, ação e aventura. No entanto essa série não me conquistou. :/ Não sei, não consegui me entusiasmar com o que ela traz, sabe?
    Gostei muito da forma como você descreveu o livro e deu para perceber que você gostou muito!
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. OI! Confesso que não tenho vontade de ler esse livro, mundos pós-apocalíticos não me atraem, acho que a escrita fica massante, é tantos detalhes que alguns autores se perdem totalmente. Muitos não acreditam em alienígenas, eu também não, então acho que ficaria um pouco difícil me entregar a uma leitura desse estilo.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Rosem! Oi, Elis!

    Não conhecia essa série, mas parece ser muito legal, repleta de aventuras e um cenário caótico. Faz tempo que não leio histórias que envolvem um mundo pós-apocalíptico, então fiquei curiosa.
    Gostei da dica, espero que os próximos livros sejam tão bons quanto esse e o primeiro. :)

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. livro é bem mais eletrizante, com uma profundidade mais estudada e com eventos físicos que nos remetem a magia, misturada a distopia, mas com muitas discussões que pertencem ao ramo da filosofia da física. Sem contar que você não consegue parar de ler.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!