[Resenha] A Fragrância da Flor do Café

A Fragrância da Flor do Café - Ana Veloso

A Fragrância da Flor do Café - Ana Veloso
Sinopse - Editora Jangada - 2015 - 536 páginas


A magnífica autora Ana Veloso, é de origem alemã e morou no Rio de Janeiro por muitos anos, ocasião em que efetuou a extensa pesquisa que documenta o maravilhoso “A Fragrância da Flor do Café”, portanto é a segunda autora estrangeira que leio este ano que descreve nosso país e principalmente nossa cultura, de forma brilhante e visceral.

Ambientado na transição entre a suntuosidade do latifúndio dos barões do café e a abolição da escravidão no Brasil, a narração em 3ª pessoa nos apresenta Vitória Silva e Léon de Castro em uma polaridade de soltar faíscas hahaha! Ela, uma jovem sinhá mimada e voluntariosa, ele um jornalista abolicionista “lindo de tirar o fôlego” mas totalmente contrário aos interesses do latifúndio, ou seja, inimigos naturais que serão flechados e enredados em uma paixão fulminante.

“ O desejo de ambos era mais forte que a razão... bastava que Léon roçasse levemente o braço de vitória para que o corpo dela estremecesse.”

Entremeado a essa paixão proibida e encontros tórridos dos protagonistas, o romance nos coloca no centro da transição histórica da abolição, fatores econômicos, políticos, sociais e culturais; a resistência dos barões mesmo na eminência da queda, as fugas e resistência dos escravos negros por sua liberdade e igualdade, principalmente sob o ponto de vista de Felix, um jovem escravo fugitivo da Fazenda Boa Vista, propriedade dos Silva.

Dividido em três partes, o romance a princípio nos coloca diante da riqueza e luxo em que viviam os grandes senhores negreiros do Vale do Paraíba, o esnobismo, racismo predominante, bailes e paixões adolescentes; apesar do tema pesado, a prosa é suave e apaixonante.

Na parte dois, diante da queda, a família Silva parte para o Rio de Janeiro onde já encontra-se Vitória, que tornou-se uma mulher muito rica graças a sua inteligência e estratégia, situação rara para uma mulher na citada época, que torna-se um ícone negativo de seu grupo social. Somos confrontados com a absurda e revoltante situação dos negros, a exclusão que viviam mesmo os alforriados e a luta para sobreviver em uma sociedade racista.

A parte três é a mais densa, “emoções a flor da pele”, apesar de Vitória estar com 22 anos, já carrega “o peso” de uma vida inteira, belíssima, riquíssima e infeliz por quê? Porque é teimosa e em sua sede de competir com Léon ou mesmo de castigá-lo, acaba magoando a si mesma e o pior, a todos em seu entorno, entretanto um acontecimento trágico lhe fará reavaliar seus valores e dará um novo sentido à família Silva.

Me surpreendi com a qualidade desta leitura, é quase palpável a riqueza de detalhes tanto dos locais quanto dos sentimentos das inúmeras personagens inesquecíveis, como Vitória, Léon, Felix, Pedro, Aaron, Joana, Luíza, Alma e Fernanda, entre outros. O final é edificante e românnnnnntico.

Emocionante, denso, envolvente...
Excelente Leitura!

Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Pensamento.
Aguardamos seus comentários! By.:.

8 comentários

  1. Oi, Rosem. Gostei muito do fator de uma autora estrangeira descrever em um livro o nosso cenário. Posso dizer que gosto bastante de temas históricos presentes em livro, omo a escravidão neste caso. A autora conseguiu representar tudo de uma forma gloriosa, principalmente a parte três. Gostei muito!
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br
    Instagram: Consumidor de Sonhos | CdS

    ResponderExcluir
  2. Muito bom sempre gostei de escritoras estrangeira elas tem um talento maravilhoso e pelo que vi fala sobre o que aconteceu com o Brasil que é a escravidão e parece uma leitura cheia de riqueza e gostei muito capa.
    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Rosem!
    Bom demais poder conhecer um pouco mais sobre a história do Brasil e do café que até hoje é um dos produtos mais cobiçados pelo mundo inteiro.
    E ainda com esse romance impetuoso, o livro deve ser mais que bom.
    “Sem a música, a vida seria um erro.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  4. oi flor, gostei bastante da temática, pois além de uma história para emocionar traz a era mais gloriosa da economia cafeeira com toda a sua imponência
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Pela sua resenha o livro parece ser bem interessante!
    Contando um pouco de nós e com um romance...Legal!
    Fiquei curiosa para ler, vou ver se consigo com alguém emprestado, rsrsrs....
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  6. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece mesmo ser super emocionante e envolvente.

    ResponderExcluir
  7. Que capa linda desse livro A Fragrância da Flor do Café. Achei mto romantica.
    Nao conhecia o trabalho da Ana Veloso e estou bem impressionada com tantos elogios, fiquei com vontade de ler para conhecer a sua escrita.
    Sempre que leio um romance de paixão proibida e encontros sofridos entre os protagonistas, eu sofro junto, viu?!
    Nossa, eu fico mtoooo entretida com tudo e fico emocionada.
    Adorei saber que o livro tem riqueza de detalhes, isso é bom pra nos deixar por dentro do ambiente, conhecer melhor os personagens.
    Adorei.
    Beijos

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Rosem, quando vi o nome pela primeira vez, logo me veio a cabeça a novela "Café com Aroma de Mulher" e como gosteiii mmmuito da novela, logo pensei: "Este livro sera muito bom", se não tive enganada, praticamente com toda certeza vou adorar esse livro. Agora estou mais curiosa.

    Bjss

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!