[Resenha] Por Favor, Ignore Vera Dietz

Por Favor, Ignore Vera Dietz - A.S. King

Por Favor, Ignore Vera Dietz - A.S. King
Sinopse - Novo Século - 2015 - 288 páginas


Vera Dietz é uma garota de dezessete anos que acabou de perdeu seu melhor amigo, Charlie Kahn. Os dois eram vizinhos, se conheciam desde crianças e até mesmo construíram uma casa na árvore juntos, mas cinco meses antes de Charlie morrer a amizade deles sofreu reviravoltas e ambos pararam de se falar.

Tanto Vera quanto Charlie sofriam com problemas familiares, o pai de Charlie batia em sua mãe e o garoto passava grande parte do tempo fora de casa para evitar as brigas do casal e fingir que nada estava acontecendo. Vera mora apenas com o pai, pois sua mãe, uma ex-stripper que engravidou bem cedo, fugiu para Las Vegas com outro homem; seu pai, um ex-alcoólatra que virou contador, adora ioga, livros de autoajuda e economizar dinheiro.

Charlie sabia dos segredos de Vera, e vice-versa, a amizade deles os ajudavam a passar por tudo isso, juntos eles eram mais fortes, até outras pessoas entrarem na vida de Charlie e ele deixar Vera de lado por causa de mentiras contadas sobre ela. Até que Charlie morreu e Vera teve que seguir sua vida, sem ninguém para amar e odiar ao mesmo tempo. Sem nenhum amigo com quem desabafar.

Em “Por Favor, Ignore Vera Dietz”, Vera não possui um objetivo a ser alcançado, o enredo apenas mostra sua vida no presente alternando com alguns flashes do passado, seu emprego na pizzaria do Templo, sua relação com o pai, sua escola e a aula de Vocabulário (a matéria preferida de Vera). Mas não pensem que por falta de objetivos ou obstáculos a história seja sem graça, muito pelo contrário, a narrativa me instigou a ler, fui virando página atrás de página devorando o livro, pois a autora tem uma maneira envolvente de escrever!

“Quero dizer a ela que não faz sentido ficar se escondendo. Quero dizer a ela que a única coisa que uma pessoa consegue quando constrói muralhas ao redor de si é uma sensação enorme de vazio.”
Ken Dietz (pai de Vera)

O livro é dividido em cinco partes, todas elas narradas por Vera, mas o pai de Vera, Charlie e o Templo também narram alguns capítulos (sim, um adolescente morto e um objeto inanimado narram este livro!). Gostei bastante de Vera, mesmo não concordando com algumas de suas atitudes, porém não consegui gostar de Charlie, tive a impressão que ele nunca ligou muito para a amiga, nem para nada à sua volta, além de ter tomado algumas decisões mal pensadas.

“ (...) Todos nós estamos apenas tentando descobrir as coisas conforme o tempo passa. Ninguém realmente sabe o que está fazendo. Se alguém lhe disser o contrário, essa pessoa também não faz a menor ideia do que está dizendo.”
Templo

Minhas cenas prediletas foram as entregas de pizza de Vera, gostei dela descrevendo o caminho, as gorjetas e os clientes, conheci sua cidade e o tipo de gente que vive por lá. É claro que as entregas de pizza também são uma ótima hora para Vera refletir sobre a vida.

“ Havia prometido a mim mesma que evitaria o destino da minha mãe, e que faria isso ficando bem longe de garotos até depois da faculdade. E sabia que, quando saísse à caça, precisaria de um homem como meu pai – confiável e que respeitasse as mulheres (…) Mas, promessas à parte, Charlie Kahn continuava sendo o garoto mais interessante que já conheci (…).”
Vera Dietz

E para quem curtiu essa história, recomendo a leitura de “Claros Sinais de Loucura” da Karen Harrington, pois Sarah (a protagonista) me lembra a Vera, ambas tem receio de cometer os mesmos erros que seus pais e sofrerem o mesmo destino que eles, nutrem um grande amor por palavras e adoram ampliar o vocabulário!

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Novo Século.
Aguardamos seus comentários!
Beijos ignorados... 

14 comentários

  1. Olá!
    Parece muito interessante esse livro, ainda não tinha lido nada a respeito dele, não tinha conhecimento dele!
    E gostei muito da sua resenha! Fiquei bem curiosa para saber como Vera acaba essa história, e já te digo que estou torcendo que bem...hehehe
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  2. oi flor, não conhecia o livro, mas fiquei bem intrigada com a ideia central da trama e como Vera vai prosseguir depois de tantas reviravoltas
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Samantha, lendo a sinopse o livro não me chamou a atenção não é o tipo de gênero literário que eu gosto de ler mas você fez uma resenha incrível bhjs.

    ResponderExcluir
  4. A premissa do livro parece ser muito interessante, acompanhar o protagonista por causa de tragédias que aconteceram essa sua vida. Apesar de não curtir livros sem muita aventura, acho que vou abrir uma exceção para esse. Abraços
    bookdan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história, ainda não li Claros Sinais de Loucura.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro parecer ser aqueles que você olha e não dar muito importância pra ele e até julga ele pela capa mas quando você ler ele muda totalmente de opinião e te surpreende, gosto muito de livros assim e esse está na minha lista
    Amei a resenha e consegiu transmitir porque eu fiquei com muita vontade de ler.
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Esse parece ser daqueles livros que a princípio não damos muita importância, mas a história parece ser interessante.
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  8. o livro parece ser interessante, mas acho que não faz muito meu estilo. passei dessa fase de adolescente com pais problemáticos. apesar de ter ficado curiosa de ter um livro narrado por um objeto inanimado (tá eu sei que é só uma parte, mas enfim). bom, eu vou anotar a dica e talvez eu dê uma chance a ele

    ResponderExcluir
  9. Sam!
    Confesso que nunca tinha visto o livro e nem conhecia a utora, entretanto gostei do mote do livro e gostaria de dar algumas risadas com as entregas que a protagonista faz...
    “O segredo da criatividade é saber como esconder as fontes.” (Albert Einstein)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Samantha! Oi,Elis!

    Gostei bastante da premissa deste livro, parece ter uma narrativa bem diferente e instigante - apesar de tratar de ações cotidianas.
    Ótima dica, já está na minha lista de desejados.

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. oi ^^
    é aquele tipo de livro despretensioso né tipo tem a história, mas não é aquela coisa que muda a sua vida e tals.
    eu fiquei curiosa pelo título, mas não quando vi do que tratava-se a história não me anime muito para ler. por isso passo a leitura.

    ResponderExcluir
  12. Bem eu não sei muito o que dizer, primeiro que não conhecia a autora até então segundo que o livro ao mesmo tempo que parece ser bom, não me pareceu ser tão instigante assim.

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro e achei a historia diferente principalmente pelos narradores o que fiquei curiosa para saber como serie essa narração, mas não foi um livro que me interessou !!

    ResponderExcluir
  14. Gostei muito da capa do livro, ela já me instigou a ler só de olhar! Também curti a proposta de trabalhar problemas familiares dentro de um livro, isso é extremamente importante. Além disso, os narradores inusitados e a oportunidade de conhecer a cidade e seus moradores a partir da visão de Vera também me chamaram atenção!

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!