[Resenha] O Cavaleiro Fantasma

O Cavaleiro Fantasma - Cornelia Funke

O Cavaleiro Fantasma - Cornelia Funke
Sinopse - Editora Seguinte - 2013 - 176 páginas


Infantojuvenil é um estilo que me atrai muito, acho as histórias tão leves e mágicas, repletas de amizade e aventura, nunca me canso de ler. Fazia um tempinho que não lia algo nesse estilo, mas “O Cavaleiro Fantasma” me encantou e me fez lembrar de como livros mais leves são bons de vez em quando.

Jon Whitcroft é um garoto de onze anos que odeia seu padrasto, o Barba (apelido dado por Jon), assim fez de tudo para sua mãe se separar dele, desde pegadinhas até contar mentiras sobre ele, mas nada adiantou, muito pelo contrário, cansada do comportamento do filho, sua mãe o mandou para um internato em Salisbury.

Jon ficou morrendo de raiva do Barba, acusando-o de dar a ideia do internato, mas suas preocupações passam a ser outras quando avista da janela de seu quarto (em sua nova escola) quatro fantasmas montados em cavalos ameaçando-o e chamando-o pelo nome de solteira de sua mãe: Hartgill. É claro que ninguém acredita nele, nem mesmo seus novos amigos e colegas de quarto, Angus e Stuart. Apartir daí Jon começa a contar mentiras, dizendo que não viu fantasma algum, para acalmar os nervos de seus amigos e não fazer papel de doido.

Apenas Ella Littlejohn vai procurá-lo para saber mais sobre os cavaleiros, a garota acredita nele e ambos se tornam amigos. Ella tem um plano para ajudar Jon com os fantasmas, mas esse plano envolve mais fantasmas ainda, mais precisamente William Longspee, um cavaleiro que foi enterrado na catedral perto de sua escola com a promessa de ajudar a quem estivesse em perigo. Só que para isso Jon precisará despertá-lo e pedir sua ajuda.

O livro é narrado por um Jon do futuro, que está visivelmente mais maduro pois já viveu todos os fatos que vai contando. A narrativa é bem agradável, tornando a leitura rápida, de vez em quando Jon faz um comentário de como as coisas mudaram desde a história narrada até os seus dias atuais, e isso me divertiu muito.

Me apeguei bastante aos personagens, Jon é um protagonista e tanto, ele teve medo, ficou confuso, sentiu raiva, chorou e sorriu, e mesmo que eu nem sempre concordasse com ele, me senti como uma amiga e perdi o fôlego quando ele estava correndo do perigo. Jon evoluiu bastante durante a história, além de ter aprendido um bocado sobre fantasmas, ganhou uma amiga e se tornou bem mais corajoso, além de receber lições de paciência e bondade.

Ella é uma personagem interessante, bastante corajosa, determinada e inteligente, que acredita em fantasmas e gosta de aventuras. Quando seus pais (que tocam numa orquestra) estão viajando, ela fica com sua vó Zelda (especialista em fantasmas) numa casa cheia de sapos. Também adorei a vó de Ella, mesmo sendo um pouco rabugenta no começo, gostei do fato dela usar sua bengala para enfrentar os fantasmas!

Neste livro conhecemos um pouco da história de William Longspee, ele realmente existiu e foi meio-irmão de Ricardo Coração de Leão, tornando-se o duque de Salisbury (sim, o internato da história e a catedral existem também), gostei da autora ter misturado um pouco de história real com fantasia para obter um resultado tão bom.

Depois dessa leitura tão legal, estou louca para começar “A Maldição da Pedra” e “Sombras Vivas”, outras duas obras da Cornelia Funke que estão acumulando pó na minha estante (coitadas), tenho que adiantar estas leituras!

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Seguinte.
Aguardamos seus comentários!
Beijos fantasmagóricos...

11 comentários

  1. Oi, Samantha!
    Apesar de gostar de histórias leves e mágicas não curto livro Infantojuvenil, histórias onde há personagens que possuem mais ou menos a idade de Jon - onze anos - não me agradam. Portanto, e mesmo achando interessante a autora ter misturado história real com um pouco de fantasia, O Cavaleiro Fantasma é um livro que eu não leria.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. não conhecia o livro, mas a trama parece ser interessante, diferente e leve ao mesmo tempo. Eu gosto bastante de livros que envolvam ficção e realidade, dá uma impressão de que tudo pode ser real
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. É muito dificil eu gostar de infanto juvenil, mas esse meio que pende para a exceção. Acho a capa muito bonita, e a premissa me agrada, além de receber muitos elogios sempre.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Também faz um tempo que não pega esse gênero para ler, mas adoro e sempre bom pegar um livro mais leve para ler e esse pareceu bem interessante e parece engraçado a historia também, gostei dos personagens e adorei essa capa !!

    ResponderExcluir
  5. Livros mais leves realmente são bons de se ler de vez quando, ainda mais depois de livros mais pesados que nos abalam bastante, isso faz com que voltemos a ser criança.
    Cornelia faz bastante sucesso e não é a toa, consegue conduzir bem a história, deixando clara a evolução dos personagens e nesse caso principalmente de Jon, é divertido e ao mesmo angustiante ir descobrindo o motivo dos fantasmas o perseguirem, ele buscar ajuda William e sempre tendo ao lado uma amiga fiel como Ella. Duas coisas mais chamaram minha atenção, a primeira é ser narrada por um Jon mais velho, experiente narrando sua saga com riqueza de detalhes e a outra foi essa mistura do real com o fantasioso que a autora usa, trazendo isso de uma forma muito inteligente, pela resenha deu para ver como o jovem mudou bastante, com certeza a relação com o padastro também deve ter se alterado, em poucas páginas a autora consegue fazer e responder várias perguntas, acrescentando a tudo isso mistério e diversão, leitura para qualquer idade que goste de uma aventura!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Faz tempo que não leio livros desse estilo...gosto muito!
    E essa história parece ótima! Adorei, cheia de mistérios, kkkkk

    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  7. O ultimo que eu li deste gênero foi Percy, mas já me simpatizei com o enredo desta historia, a capa é simples, mas linda! ♥

    ResponderExcluir
  8. SAM!
    Gosto muito também dos livros infantos juvenis porque nos transportam para um mundo de fantasias e ainda podemos aproveitar muita AventurA.
    Adorei todo enredo e gostaria de ler o livro.
    “Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.” (Machado de Assis)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

    ResponderExcluir
  9. Gostei da resenha.
    Porem não faz meu gênero literario, não gosto de livro infantos juvenis, prefiro new adults, bjs

    ResponderExcluir
  10. Não costumo me interessar por livros de fantasia, pelo fato de gostar de livros de romance, acabo não dando espaço para outros gênero, porém quem sabe futuramente me interesso pela leitura desse livro, por enquanto não despertou vontade em ler.

    ResponderExcluir
  11. Sua resenha está muito boa, eu não conhecia esse livro, mas lendo um pouco mais sobre a história dele na sua resenha fiquei bem curiosa, pois gosto de ler histórias mais leves.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!