[Resenha] A Espiral da Morte

A Espiral da Morte - Claudio Angelo

A Espiral da Morte - Claudio Angelo
Como a humanidade alterou a máquina do clima
Sinopse - Companhia das Letras - 2016 - 496 páginas


Esta magnífica obra que trata de mudanças climáticas até poderia ser considerada como uma não ficção voltada apenas para leitores técnicos, diante da temática científica e teórica que aborda, entretanto o brilhante Claudio Angelo, com uma indiscutível habilidade de contador de histórias nos guia a uma jornada de aventuras, trazendo a tona exploradores de ontem, de hoje, o confronto entre natureza selvagem, intocada e homens destemidos, e sobretudo as descobertas estarrecedoras frente a hipótese de um futuro desconhecido.

Claudio Angelo é um dos mais respeitados jornalistas científicos do Brasil, editor de ciência do jornal Folha de São Paulo [2004 a 2010], colaborador em publicações como Nature, Scientific American, Época e bolsista Knight de jornalismo científico do MIT nos E.U.A.

“Os mares estão mais quentes no mundo inteiro, e esse calor vem derretendo o gelo marinho de baixo para cima...”

Durante quinze anos o autor conversou com cientistas, pescadores, caçadores, agricultores, ativistas, moradores ativos e passivos no Ártico e Antártida, e no decorrer dos capítulos descreve inúmeras experiências de como o clima afetou a vida destas pessoas nos últimos dez anos, ou seja, por mais que os governos não queiram admitir a necessidade da criação de orçamentos específicos para as alterações climáticas, é inegável que abruptas alterações estão em via: degelo, correntes marítimas, massas de ar,  já deixam seus rastros pelo planeta.

“O sistema climático é todo conectado, de forma que o que acontece nos trópicos influencia os polos e vice-versa.”

Secas, enchentes, tufões, safras perdidas, aumentos de preço em itens básicos de alimentação, invernos extremos, está tudo aí, o efeito borboleta em ação e agora só nos resta observar as possíveis repercussões dessa espiral da morte, termo lançado pelo glaciologista Mark Serreze, com sua ousada previsão de que “o Polo Norte estaria sem gelo já no verão de 2030”, fato ao qual a humanidade terá que adaptar-se via realocações drásticas.

Dividida em três partes: Norte, Interlúdio e Sul, a obra deste fenomenal jornalista é riquíssima em informações específicas sobre temas como glaciologia, climatologia, geologia, recursos energéticos não descobertos cobiçadíssimos pelas maiores potências mundiais, cujos riscos de extração podem ocasionar uma catástrofe sem precedentes para a humanidade.

A narrativa é entrecortada por imagens esquemáticas que simplificam processos como degelo, correntes oceânicas, mapas dos polos e das estações de pesquisas, massas de ar e sua fluência dos polos aos trópicos, de fato muita informação desmistificada, como nos últimos capítulos voltados ao “Proantar”, as pesquisas de ponta e a reconstituição do incêndio que destruiu a estação Comandante Ferraz, enfim culminando com o momento histórico do Acordo de Paris.

A Espiral da Morte é uma leitura ímpar, esclarecedora, empolgante, assustadora, emocionante.
Para ler e reler.

Essa leitura foi uma cortesia da Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

3 comentários

  1. Olá!
    Super interessante essa leitura!
    Super atual, os alunos deveriam ler na escola!
    Pretendo ler
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  2. que bom que a leitura fluiu tão bem para você! a trama tem seus segredos e me deixa levemente intrigada, mas ainda tenho receios por não ser algo que eu normalmente leia
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa que leitura interessante, essa é primeira resenha que vejo dele e a mesma me deixou bastante curiosa em conferi isso tudo que foi dito aqui.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!