[Resenha] O espírito da ficção científica

O espírito da ficção científica - Roberto Bolaño

O espírito da ficção científica - Roberto Bolaño
Sinopse - Companhia da Letras - 2017 - 184 páginas


Uma experiência exótica como caminhar num labirinto de espelhos. A sensação que nos causa “O espírito da ficção científica” é de enveredar-se por mundos paralelos que entrelaçam-se ao mesmo tempo que se distendem, o encontro com o si mesmo que reflete Jan em Remo, e ambos no mais jovem autor premiado. O reflexo do reflexo.

Mesmo que digam por aí que “O espírito da ficção científica” não é o melhor livro de introdução à escrita de Roberto Bolaño, após a leitura tenho que discordar, eis uma excelente porta de entrada ao Universo deste autor fantástico, um esboço de ao menos duas obras que encontram-se entre as 25 mais cultuadas da literatura contemporânea Latino Americana.

Esse pequeno livro trata de um tempo de sonho, amizade, paixões fulminantes, idealismo, rebeldia, noites de euforia desmedida e amanheceres perfeitos. Poesia, boemia, humor e prazer, o mergulho no mundo dos poetas sob noites de luar na irreverente aura do México dos anos 70, “o centro do mundo...”.

Dois jovens escritores chilenos dividem um sótão na cidade do México, enquanto Jan passa seus dias lendo ficção científica e escrevendo cartas para seus autores favoritos, Remo divide seu tempo entre a escrita poética e a busca pela origem da proliferação desenfreada de misteriosas revistas de poesia com o carismático José Arco, seu guia mágico para todas as aventuras que a noite oferece:

“Então ele era o rei dos sapos e eu o embaixador dos ratos, e nossa amizade e nossos negócios iam de vento em popa… Às vezes chegava tarde, às três ou as quatro da manhã e nos acordava com um grito cumpridíssimo, como de um lobo... ”

Ao mesmo tempo um jovem autor premiado dá uma entrevista sobre sua obra à uma jornalista cada vez mais bêbada, em uma festa alucinante que atravessa uma noite infinita:

“Tenho a impressão que o único sóbrio nesta bacanal da República das Letras sou eu. Você, querida informadora, exagerou um pouco na vodka. É evidente que não estou aqui pelos meus magníficos versos”.

Enquanto Jan escreve suas cartas, sonha e observa amanheceres cada vez mais perfeitos, Remo se apaixona por Laura, seu primeiro amor:

“Os olhos de Laura brilhavam como a flor de Irapuato. Eu me senti perdido e feliz no meio daquela escada. A própria escada, que antes não significava nada de especial, se transformou numa coisa extraordinária, metade serpente, metade despenhadeiro.”

As referências de autores de ficção científica pupulam nas cartas de Jan: Ursula K. Le Guin, Fritz Leiber, Ray Bradbury, Philip K. Dick [meus favoritos], entre outros, e no decorrer outras referências entremeiam diálogos, como Castañeda, Proust...

“Se eu pudesse me comunicar com os mortos escreveria a Philip K. Dick.”

E o que dizer do relato do sacerdote Sabino Gutiérrez sobre os fatos que ocorreram na aldeia de Kindu [África] como pista para o mistério das publicações e pano de fundo para a situação sócio-política mexicana? E ainda sobre as considerações de Reno à Ireneo Carvajal sobre os jogos de mesa de guerra, quando combinados a obra do jovem autor premiado? Genial!

“Miniaturistas sempre me pareceram vassalos do demônio. A vida toda acreditei que a Maldade, antes de estrear, ensaia suas piruetas em escala reduzida.”

Enfim tudo está ligado, personagens surgem, interligam-se, nos envolvem em histórias dentro de histórias, numa trama labiríntica, mágica, profunda e passional.

 “... noite gatesca de sete vidas e com botas de vinte léguas...”

Extraordinário! Cult... Perfeito.

Essa leitura foi uma cortesia da Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

18 comentários

  1. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas lendo a resenha fiquei bem curiosa para poder ler algo desse autor, esse é um livro diferente do que leio, mas achei bem curiosa essa historia, gostei de todo esse contexto que temos no livro e fiquei interessada na historia, se tiver oportunidade quero ler !!

    ResponderExcluir
  2. Oi Rosem, não acho que esse seria o tipo de leitura que iria prender minha atenção, mas achei a resenha interessante e fiquei feliz por ter referências de seus autores favoritos. O livro é curto e imagino que a leitura transcorra rapidamente pra quem curte o autor e suas obras :)

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não tinha lido nada a respeito desse livro...
    E com a resenha fiquei bem dividida...não sei dizer se gostei ou não...pode um negócio desse?
    Gostei da parte que diz que fala sobre amizade, sonhos, paixões e tal...mas a parte de dois autores e sua história, fiquei em dúvida...
    Vou esperar e ler mais alguma coisa do livro pra depois vê se vou ler...
    Mas sua resenha foi ótima, bem detalhada sem entregar o livro.
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Facebook
    Twitter
    Instagram

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não tinha me interessado muito pelo livro, mas quando vi quem era o autor, me deu uma vontade imensa de lê-lo. Nâo sabia que, além de diretor e ator, Roberto Bolaño também era escritor. Me bateu uma curiosidade imensa de conferir esse livro. Adorei a resenha. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tailane!
      Roberto Bolaño, o autor deste livro, foi um escritor chileno. Você deve estar o confundindo com Roberto Gómez Bolaños (Chespirito), o ator, autor e diretor (dentre outras denominações) mexicano, criador do "Chaves". Beijos!

      Excluir
  5. Rosem!
    Bom ver um livro onde todas as personagens estejam interligados e gostei muito de ver que tem cartas e escritores nele, me deixa muito curiosa por fazer a leitura.
    “A amizade, depois da sabedoria, é a mais bela dádiva feita aos homens.” (François La Rochefoucauld)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Este livro me pareceu ser bem intenso o que eu adoro eu não sou muito fã de ficção científica confesso mas a premissa me deixou bem curiosa para ler o livro estou com um pouco de receio de ficar confusa no decorrer da leitura Mas esse vai para minha listinha Com toda certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Oi Elis!

    É uma ficção bem poética e romântica *---* adorei a mistura de temas e ao mesmo tempo estando tudo interligado. Eu não conhecia o autor ( falha minha) mas eu gostei da diversidade temas e da forma como ele tratou a poesia. Gostei também pelo cenário chileno.
    Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  8. Achei bem diferente, pois não conhecia nenhum dos livros do autor e fiquei interessada em conhecer e saber se me agradaria, parece que a leitura leva o leitor a relembrar os tempos em que viveu momentos marcantes.

    ResponderExcluir
  9. oi Elis, Rosem, equipe passional, a trama é bem interessante, mas não sei se por agora eu leria, mas fica a dica
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia essa obra ainda e me parece ser bem interessante mesmo.
    Gostei que os personagens são chegados a literatura. Um em ficção científica e outro mais apegado na poesia.
    Essas histórias dentro de histórias me deixou intrigada.
    Não faz muito meu tipo de leitura, mas sua resenha me deixou curiosa.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  11. A resenha é legal mas não seria um livro que eu queira ler, mesmo num tédio acho que eu ficaria mais entediada lendo. Entretanto, como saber que não estou enganada sobre ele? Sabe se lá. Não costumo julgar livros pela resenha muito menos pela capa.

    ResponderExcluir
  12. Eu não conhecia este livro, mas apesar de eu gostar de livros do gênero ficção científica, não me interessei muito pela história deste livro, então no momento não pretendo ler, quem sabe futuramente.

    ResponderExcluir
  13. Olá Rosem ;)
    Não me interesso muito por esse gênero de livro, então não fiquei animada pra ler :/
    Mas pra quem gosta é um prato cheio!

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia a obra mas me interessou muito, mesmo lendo pouco do gênero ainda consigo ler sem duvida e a escrita dou autor me pareceu ótima.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  15. Sinceridade? Fiquei meio confusa! Não entendi muito bem sobre o que de fato é o livro. Ficção, romance, poesia.. Talvez por eu não ser muito chegada a ficção, eu já tenha assim uma barreira psicológica, mas confesso que não me interessou.

    ResponderExcluir
  16. Nossa, não conhecia esse livro, que trama interessante, essa resenha me deixou super curiosa em conferi isso tudo que foi dito aqui.

    ResponderExcluir
  17. Sensacional a sua resenha! Seu jeito de descrever é incrível. Gosto de lviro nesse estilo, que trabalhe o intelecto e nos faça refletir de forma mais crítica, esse já vai para a lista!

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!