[Resenha] A Prisão do Rei

A Prisão do Rei - Victoria Aveyard

A Prisão do Rei - Victoria Aveyard
Série A Rainha Vermelha - Livro 03
Sinopse - Editora Seguinte - 2017 - 544 páginas


“A Prisão do Rei” é o terceiro livro da série “A Rainha Vermelha”, e neste volume as coisas não começam tão bem para nossa protagonista Mare Barrow, que está presa no palácio de Maven, o atual rei. Mare está sozinha, sem seus amigos rebeldes da Guarda Escarlate, sem sua família e seus poderes, sendo constantemente silenciada (é como uma inibição de seu poder).

“O sorriso é tudo menos doce. Fino e afiado como uma navalha, me perfurando com cada um dos dentes. Os olhos são ainda piores. (...) Antes eu os achava frios, feitos de gelo vivo. Agora compreendi. As chamas mais quentes ardem azuis, e os olhos dele não são exceção.”

Longe dali, a Guarda Escarlate tenta se reerguer após algumas perdas ocorridas no livro anterior, cada vez mais disposta a conquistar as terras de Maven e fazer de tudo para tirar sua coroa. Com mais recrutas e Sanguenovos (pessoas de sangue vermelho que tem poderes), a Guarda está ficando mais forte.

Este foi um livro cheio de altos e baixos, algumas partes foram extremamente empolgantes, mas em compensação, outras me decepcionaram bastante. Gostei da postura da Mare, das suas escolhas e atitudes, depois de passar muita raiva com ela em “Espada de Vidro”, a personagem amadureceu bastante e começou a confiar menos nas pessoas.

Uma coisa boa foi que a autora decidiu explorar melhor Maven, o personagem que até então havia sido misterioso (do tipo “ame ou odeie”) se abriu, e descobrimos o porquê dele ser assim. Ainda não gosto dele, mas tudo bem. Cal (irmão de Maven) continuou igual, tomando suas atitudes e ainda ajudando a Guarda, mas conseguiu perder minha confiança.

“Maven Calore não é ele mesmo. Ele próprio me disse isso. É uma (...) coisa mecânica, uma máquina, sem alma, perdido. Que horror saber que alguém assim tem nosso destino na palma de sua mão vacilante.”

Minhas novas personagens favoritas são Evangeline e Cameron, que ganharam capítulos narrados por elas (alternados com os capítulos da Mare), tornando-se essenciais para a trama.

O que me irritou um pouco, quase no fim do livro, foi a banalização dos poderes da Mare, antes ela era única e isso fazia dela alguém extremamente interessante, mas quando surgiram outras pessoas com os mesmos poderes que ela e igualmente (ou até mais) poderosas, eu meio que perdi o interesse pela protagonista.

As descrições feitas pela autora estão cada vez melhores, amei as cenas de batalha do final (que poderiam ter durado mais) e todos os sentimentos e pensamentos da Mare no período em que esteve presa (que poderia ter durado menos).

Acho que vale a pena ler esse livro, que acrescenta vários pontos legais para a história, alguns podem ser decepcionantes, mas tem cenas boas que vão salvar a leitura. E tem mais livro por aí, espelho que a série melhore e que o final seja espetacular!

“O cheiro de fumaça fica mais forte conforme avanço. A esperança aumenta. Onde há fumaça, há um príncipe de fogo.”

Série A Rainha Vermelha


0.1, 0.2 - Coroa Cruel (2015)
4 - previsto p/2018


Essa leitura foi uma cortesia da Editora Seguinte.
Aguardamos seus comentários!
Beijos de uma rebelde sanguenova...

7 comentários

  1. como quero ler a série só dei aquela passada de olho na resenha, mas da pra perceber que a trama continua bem eletrizante, cheia de mistérios e adrenalina
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Elis.
    Eu li Rainha Vermelha e gostei. Não gostei muito da Mare. Pra mim foi uma tentativa da autora criar uma Katniss com poderes, só que não conseguiu. A Mare me fez perder a paciência várias vezes durante o primeiro livro e me perguntava porque ela não percebia as coisas que estavam na frente dela. Não me motivou pra ler Espada de Vidro :/ e olha que eu gosto de distopia. Não sei se darei continuação a essa série. Se a Mare já me irritou no primeiro, não sei se vou aguentar nos outros dois livros kkk
    Abc

    ResponderExcluir
  3. Sam!
    Bom ver que Mare foi mais bem explorada nesse exemplar e que poderemos saber mais sobre Maven e seus motivos.
    E que pena que o poder da Mare ficou um tanto banalizado por ter outros como ela, mas talvez, faça mais sentido de ter mais pessoas como ela para poderem enfrentar a batalha final, né?
    Desejo uma ótima semana e um feliz dia dos namorados!
    “Onde há estudo - há sabedoria.” (Textos Judaicos)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Samantha ;)
    Ainda não li a série, mas me interesso demais! Acho as capas da série linda *-*
    Adoro distopias, e estou ansiosa pra conhecer a história da Mare Barrow!
    Que legal que as descrições da autora continuam boas, e as cenas de batalha também.
    Agora é só esperar que a autora feche a série com chave de ouro!
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha, bem completa!! Não li o primeiro volume ainda, mas já ouvi várias pessoas elogiando, e pelo visto a qualidade mantem nos volumes seguintes, então certamente vale a pena a leitura!!

    ResponderExcluir
  6. Sam, eu sei aquela zapeada na resenha pq to doida para ler os livros da série que pelo visto são maravilhosos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Dessa série só já li A Rainha Vermelha e gostei muito, curto muito o gênero distopia, estou doida pra ler todos os outros livros e essa resenha me deixou ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!