[Resenha] A mão esquerda de Deus

A Mão Esquerda de Deus - Paul Hoffman

A mão esquerda de Deus - Paul Hoffman
Trilogia A Mão Esquerda de Deus - Livro 01
Sinopse - Suma de Letras - 2010 - 328 páginas


Primeiro livro de uma trilogia, “A mão esquerda de Deus” a princípio nos remete a um monastério sombrio em terras nórdicas, habitado por meninos que ali chegam trazidos sabe-se lá de onde, não existe qualquer indicação se são órfãos ou escravos, desde sua chegada devem honrar a memória do Redentor Enforcado e servir aos Lordes Redentores.

Bem vindos ao Santuário dos Redentores, dele poucos retornarão, ali só os fortes sobrevivem.

Essa é a premissa do autor britânico Paul Hoffman para criar um romance denso e visceral, que em sua primeira parte nos remete ao clima sombrio e misterioso de “O nome da Rosa”, entretanto aos poucos outros contornos irão delinear-se sob o ponto de vista do protagonista Thomas Cale, “O anjo da Morte”, que pressupõem verdades violentas e repercussões sinistras.

O despertar de Cale ocorre numa certa noite enquanto ele, Henri e Kleist estão praticando pequenos delitos em busca de comida e por acaso esbaram em abomináveis segredos sobre os Lordes Redentores, que transformarão suas vidas. Apavorados só encontram uma alternativa: a fuga. Uma vez fora do Santuário viverão inúmeras aventuras, mas também desventuras, e descobrirão que o mundo exterior pode ser tão ou até mais cruel que o Santuário.

De modo que podemos dividir o romance em três partes: na primeira, somos apresentados sob o ponto de vista de Cale à realidade do Santuário, as condições subumanas que vivem os meninos, prisioneiros de uma fé cega dogmática, desconhecida e distorcida. Na segunda, depois de acontecimentos bizarros e fora das paredes do Santuário, Cale irá relatar a um suposto protetor a natureza militar do local e num terceiro momento, quando Cale frente às adversidades do mundo exterior como corrupção, soberba, vaidade, ingratidão e amor traído, decide retornar ao Santuário e seguir seu destino, que é ser a “A mão esquerda de Deus”.

Trata-se de uma leitura densa e inquietante, o trio de amigos são jovens de 15 anos que tem a habilidade destrutiva de senhores de guerra, mas a inteligência emocional própria de sua idade. E Cale por sua vez é uma máquina de matar fora de controle.

“Eu costumava sentir medo o tempo todo quando era novo – disse Cale algum tempo depois – Mas então parei de sentir.”

Por outro lado, no Santuário uma conspiração está em curso, ao mesmo tempo que o Lorde Redentor Bosco, mentor de Cale, move todos seus recursos para encontrar Cale e trazê-lo de volta, a ponto de declarar guerra contra o Império dos Materazzi, os arrogantes Senhores de guerra de Memphis, onde os garotos estão sob a proteção de um influente político.

Portanto estamos diante de uma trama envolvente de muitas facetas e conspirações, tendo como clímax uma batalha épica entre fanatismo religioso e orgulho imperialista com um desfecho surpreendente.

“Tenho uma mensagem para sua filha. – falou Cale – Estou ligado a ela por amarras que nem mesmo Deus pode romper. Um dia, se ela sentir uma brisa suave no rosto talvez seja meu hálito. Uma noite, se o vento gelado brincar com seus cabelos, talvez seja minha sombra passando.”

Cativante e arrebatador, impossível parar de ler.

Trilogia A mão esquerda de Deus




Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

10 comentários

  1. Rosem!
    Desde o lançamento desse livro que tenho vontade de ler e após sua resenha, a vontade só aumentou porque fiquei bem intrigada por saber o que acontece dentro dos muros do “Santuário dos Redentores”, e, também intrigada para saber o que aconteceu para Cale e seus amigos fugirem de lá.
    Gosto de leituras densas e intrigantes.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. já tinha ouvido falar dessa série, porem essa foi a primeira resenha que leio do livro, curto muito esse gênero, parece ser bem interessante, essa resenha me deixou ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  3. Rosem, já li muitos elogios sobre essa serie. Da forma intrigante e viciante com que a história envolve o leitor. Mas ainda não consegui fazer a leitura. Mas eles estão na minha lista de desejados já tem um bom tempo e não vejo a hora de poder ler. Espero que seja em breve!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Também fiz a leitura do livro e superou tudo o que eu já havia lido sobre ele. A mão esquerda de Deus é repleto de aventura, drama, paixão, guerra e fundamentalmente amadurecimento. O título é forte, a capa belíssima, não há como fugir de um livro assim. Até poderia ser só isso, porém pra não fugir ao conjunto, o conteúdo é espetacular. Paul Hoffman deu vida a um universo inesquecível, com personagens ricos, realistas e cheios de contradição, bem ao gosto de todo leitor que se preze, longe de ser apenas mais um YA.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, nunca li nada do autor, mas pela resenha vejo que o mesmo faz uma crítica ao controle religioso e o quão maléfico esse pode ser, além de mostrar a resistência de pessoas que querem lutar por sua liberdade. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Eu já ouvi falar da série, mas nunca fui mais a fundo sobre. Gostei da resenha! Interessante essa premissa religiosa e o controle desses jovens. Deve ser um livro bem denso e fascinante.

    Beijos

    Vivian
    Saleta de Leitura

    ResponderExcluir
  7. Olá.
    Nunca li nada do autor, mas os comentários que encontro sobre essa série, sempre me animam a fazer a leitura. Parece ser um enredo que prende a a atenção e cativa o leitor. Estou curiosa para conhecer os personagens e a saber mais dessa história! Gostei muito da premissa.
    Ótima resenha, muito bem escrita.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Fiquei interessada em ler, a trama parece ser muito bem elaborada e deve prender o leitor para desvendar esse segredos do monastério, fiquei impressionada do personagem querer voltar para dentro desse lugar que pelo visto é horrível após ter saído pra fora e viu como são as coisas desse lado pelo visto são piores do que o lado de dentro.

    ResponderExcluir
  9. Fazia muito tempo que este livro estava na minha listinha de desejados, porém confesso que não me recordava muito sobre a historia.
    Mas, lendo a resenha percebi o que foi que me chamou a atenção, a vontade de ler este livro foi acessa e não vejo a hora de desfrutar desta obra.

    ResponderExcluir
  10. Oi! Nunca ouvi falar sobre essa trilogia, mas ela me lembrou um pouco de Mazze Runner. Fiquei bem curiosa pra saber como é esse Santuário e que aventuras (e desventuras) o garotos vão viver ao sair de la! Beijoss

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!