[Resenha] It: A Coisa

IT: A COISA - Stephen King

It: A Coisa - Stephen King
Sinopse - Editora Suma - 2014 - 1104 páginas


“It: A Coisa” não é apenas uma história de terror, trata-se de uma aventura inigualável sobre “ritos de passagem”, amizade, companheirismo, confiança, amor, fé e perseverança, protagonizada por um grupo de adolescentes “apaixonantes”, que unidos por um amor incondicional enfrentam seus piores medos, numa batalha mortal contra um maligno ser: “a Coisa” [Pennywise, o Palhaço Dançarino].

“Ninguém que morre em Derry morre de verdade. Você já sabia disso antes; pode acreditar agora.”

Ambientada na cidade de Derry, Maine, a trama envolve um pacto de sangue feito pelos sete protagonistas: Bill, Eddie, Ben, Beverly, Richie, Stan e Mike no verão de 1958. A  Narração é feita sob o ponto de vista de Mike [único integrante do grupo que ainda vive em Derry] e tem início em 1984, quando um terrível fato ocorre na cidade e na sequência crianças começam a desaparecer. Mike sabe “o que” está fazendo “isso” e também que precisa fazer seis telefonemas:

“- J-Jurem pra m-mim que vão v-v-v-voltar – diz Bill - Jurem pra mim que , se a C-Coisa não estiver m-morta, vocês vão vo-oltar.”  

Conforme eles são avisados por Mike, vislumbramos as personagens em sua versão adulta, percebemos que suas memórias estão borradas, no entanto cada um deles lembra-se do pacto e simultaneamente ao aviso deixam tudo para trás e seguem para Derry – alguns deles enfrentam conflitos tennnnnsos pela decisão abrupta, mas em 24hs partem de pontos diversos do país com destino ao Maine, mesmo sabendo que talvez não retornem jamais.

“- Ele soca postes de montão e insiste que vê assombração!”

Logo pensamos: “O que será que aconteceu no verão de 1958 a ponto destes “adultos” largarem suas vidas “normais” e “bem sucedidas” para embarcar numa viagem louca  rumo a uma promessa feita no passado?”. King explica, hahaha! Na Parte 2 e 4 voltamos a Derry no verão de 1958 e descobrimos como cada um deles viu “a Coisa” e como “Ela” apresentou-se de modo diferente a cada um deles de acordo com seus medos, mas também como deixou uma pista como “Pennywise”, que sugere uma ameaça direta a eles do tipo “não se metam nos meus negócios”.

Nos aprofundando nos segredos de Derry, descobrimos porque eles tornaram-se tão ligados naquele verão a ponto de criarem o clube dos otários, vamos conhecer seus inimigos em comum: Henry, Arroto, Victor e Patrick [e a apocalíptica guerra de pedras] suas dúvidas, suas angústias secretas, seus medos, suas paixões, seus sonhos;  nos divertir com suas façanhas, gargalhar com seus trocadilhos, temer e torcer por eles, admirar sua coragem, nos encantar com sua inocência, mas sobretudo com sua determinação e fé cega no bem, logo vemos porque aquele foi o pior e o melhor verão de suas vidas.

“E agora, agora que não acreditamos mais no Papai Noel, na Fada do Dente, em João e Maria, nem no Troll debaixo da ponte, a Coisa está pronta para nós.”

O livro está dividido em 5 partes, ao final de cada uma há um interlúdio em que Mike relata as lendas de Derry e de como “a Coisa” está vinculada ao passado sangrento da cidade, a cada um desses episódios cronológicos o leitor vai desvendando a essência cíclica do ente maligno que devora crianças como uma espécie de ritual. Genial a habilidade de King de nos infiltrar na história dentro da história, a fim de buscas respostas ao mistério proposto no enredo.

A parte 3, reencontro de Bill, Eddie, Ben, Beverly, Richie e Mike é repleta de surpresas, juntos novamente depois de 27 anos eles são abarcados por inúmeras memórias, velhos hábitos juvenis retornam e assombrados redescobrem uma vitalidade que acreditavam ter perdido, reencontram juntos a força que os uniu no passado: a fé e o amor, pois no final o verdadeiro amor nunca acaba e a fé está na alma. Como “a Coisa” só tem poder contra eles quando estão separados, maliciosamente, os afrontará individualmente e trará a tona seus medos infantis, numa alusão à criança interior tantas vezes ofuscada no adulto. Eles terão que lutar com seu subconsciente, sensacional.  

“Fomos fundo juntos.
Fomos até as trevas juntos.
Será que sairíamos das trevas se fôssemos uma segunda vez?” 

Quando chegamos na parte 5, Ritual de Chud, por volta de 900 páginas, já nos sentimos órfãos do “clube dos ótarios”, só faltam 191 páginas para acabar e o ritmo é alucinante:

“Voltem, diz a Coisa. Voltem, vamos terminar nosso assunto em Derry. Tragam seus jogos da bugalha, suas bolas de gude e seus ioiôs! Vamos brincar! Voltem e vamos ver se vocês lembram da coisa mais simples de todas: como é ser criança, segura na crença e, portanto, com medo do escuro.”

Enfim é isso mesmo, será a criança interior que eles terão que evocar para vencer “a Coisa” numa batalha visceral, inconsequente e sem limites do tipo: - Querida, quantas vezes já te disse pra não deixar as crianças brincarem no sistema de esgoto da cidade? Hahahaha! E aí, de que cor vai querer seu balão?

“Aqui embaixo todos flutuamos.”
Até “a Coisa”.

Ultra mega perfeito.

Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

5 comentários

  1. os livros do King ja pela capa me dão aquele terror do qual ele é mestre, não leria, mas fica válida a dica
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Meu livro preferido de terror ao lado de Mortos Vivos de Peter Straub !!!

    ResponderExcluir
  3. Rosem!
    Coisas de leitor, não é mesmo? Na verdade os fãs mais acirrados gostam de qualquer livro escrito por King.
    Não tive coragem ainda de encarar IT, não pelo volume, porém pela falta de oportunidade mesmo... além do que assisti o filme e não gostei tanto quanto imaginava, então, fico protelando a leitura do livro.
    É como Misery... o começo foi bem arrastado também, embora melhore do meio para o fim, mas como tinha assistido o filme, achei até um tanto tedioso, acredita?
    Questão de opinião, mas como amo King, um dia lerei com certeza.
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  4. Oi Elis e Rosem, tudo bem?
    Vi muitos comentários a cerca de It-Coisa, mas eu ainda não tinha parado para conhecer sua trama. Pela sua resenha o livro me pareceu interessante e acredito que irá agradar sem dúvida os fãs do gênero.

    *bye*
    Marla Almeida
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente acabei assistindo ao filme antes de ler a obra, mas como vai ter continuação quem sabe eu consiga até lá. A resenha me fez lembrar bem do filme, por Deus quantos sustos. Na verdade eu só li Carrie do King e achei uma escrita muito confusa, tenho medo de nao conseguir acompanhar o calhamaço do It. Mas com calma acho que vai, tenho tempo até o final 2018 ahahah

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!