[Resenha + Vasculhando] O Hospital Hostil

O Hospital Hostil - Lemony Snicket

O Hospital Hostil - Lemony Snicket
Desventuras em Série - Livro 08
Sinopse - Editora Seguinte - 2004 - 232 páginas



“O Hospital Hostil” é o oitavo livro de “Desventuras em Série” e o mais diferenciado até agora. Os irmãos Baudelaire estão sendo procurados pela polícia como culpados pelo assassinato do Conde Olaf, o vilão, que está vivo e mais determinado que nunca, por isso não podem contar com a ajuda de ninguém que tenha lido o jornal onde a foto deles foi publicada.

Abandonados por Sr.Poe e sem nenhum tutor ou casa onde morar, eles acabam se juntando a um grupo de cantores denominados Combatentes da Saúde do Cidadão, e vão trabalhar num hospital como voluntários, logo conseguem um cargo na biblioteca de registros, onde tem a esperança de descobrir mais sobre sua família e entender algumas pistas que conseguiram nos volumes anteriores.

A vida dos Baudelaire logo é atrapalhada por personagens que conhecemos há tempo, os órfãos terão que procurar pistas em segredo (já que é proibido ler os arquivos da biblioteca) e fugir dos vilões que os procuram. Mais uma vez, a vida deles ficará em perigo e outros mistérios surgirão.

O clima da história foi super bem construído e agora todas as cenas são acompanhadas de tensão, várias teorias estão sendo criadas na minha cabeça e a curiosidade está nas alturas. O narrador está cada vez mais misterioso, ele esconde mais do que revela e muitas das coisas que diz me deixam apreensiva sobre o futuro dos Baudelaire.

Este livro foi bem diferente dos outros desta série, pois Olaf inovou no disfarce (se é que posso chamar assim), mas quem caprichou mesmo na hora de fingir ser outra pessoa foram Klaus e Sunny, que usaram a inteligência para se safarem dos capangas do vilão. O final foi muito emocionante e como sempre me agradou demais, me deixando morrendo de pena dos irmãos.

Desventuras em Série


9. O Espetáculo Carnívoro
10. O Escorregador de Gelo
11. A Gruta Gorgônea
12. O Penúltimo Perigo
13. O Fim

Vasculhando em quotes


Vasculhando em quotes se trata de vasculhar um livro e separar quotes relativos a alguns assuntos (sem spoilers), para dar a vocês uma noção do clima da história através dos detalhes - aparentemente superficiais - que fazem toda a diferença no contexto geral.

Cenário


“A fachada da loja estava coberta de cartazes desbotados anunciando o que estava à venda, e sob a luminosidade fantasmagórica da meia-lua os Baudelaire conseguiam ver que limas frescas, facas de plástico, carne enlatada, (...) aquários com peixinhos dourados, sacos de dormir, figos secos (...) e muitas outras coisas estavam disponíveis no armazém.”

“Havia prateleiras de aspargos enlatados e estantes de canetas-tinteiro, ao lado de barris de cebolas e caixotes cheios de pena de pavão. Havia utensílios de cozinha pregados nas paredes e candelabros pendurados no teto (...)”

“O lado esquerdo do hospital era uma lustrosa estrutura branca, com uma fileira de altas colunas e pequenos retratos esculpidos de médicos famosos acima de cada janela.”

Moda


“Estava usando dois sapatos diferentes, cada um com uma etiqueta de preço, e uma porção de camisas e chapéus ao mesmo tempo.”

“Esta noite ela estava usando um casaco comprido feito com as peles de diversos animais (...), e carregava uma bolsa com a forma de um olho (...)”

“Os parceiros de Olaf lhe tinham vestido um avental branco, tão imundo quanto os lençóis (...)”

Culinária


“Os Baudelaire não tinham comido nada desde que saíram da cidade, e caíram matando, uma expressão que aqui significa ‘comeram até a última migalha’ dos bolinhos.”

“(...) uma pequena sala que uso para guardar minhas frutas. Se vocês ficarem com fome durante o dia, podem se servir de alguma coisa daquela tigela.”

“(...) estava fazendo seu famoso glacê de requeijão cremoso, o qual seria espalhado numa camada espessa em cima do bolo.”

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Seguinte.
Aguardamos seus comentários! Beijos...

2 comentários

  1. mais uma vez esses pobres irmãos estão enrascados!
    dá um desespero acompanhar tantas desventuras
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sam!
    Por vezes, lendo as resenhas, também sinto que é muito sofrimento para poucas crianças e é aquele sofrimento que não tem fim, cada vez maior...
    Não desiste não de ler a série porque quero saber mais, mesmo com o coração despedaçados pelo sofrimento que eles passam.
    Desejo uma semana maravilhoso!!
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!