[Resenha] O labirinto dos espíritos

O labirinto dos espíritos - Carlos Ruiz Zafón

O labirinto dos espíritos - Carlos Ruiz Zafón
O Cemitério dos Livros Esquecidos - Livro 04
Sinopse - Suma de Letras - 2017 - 680 páginas


Com “O labirinto dos espíritos”, Carlos Ruiz Zafón encerra a saga “O cemitério dos livros esquecidos” que encantou milhares de leitores pelo mundo. Em uma entrevista à TV espanhola por ocasião do lançamento deste IV livro da série, Zafón disse que apesar de ter recebido algumas propostas de adaptação, não tem intenção de fazê-lo; considera que uma mudança de linguagem desvirtuaria a obra que tem o sentido de enaltecer a imaginação dos leitores, mas sobretudo homenagear a arte da escrita e da palavra, objetivo que ele alcançou com maestria.

“...Vai ser o nosso segredo para sempre.”

Neste “Labirinto”, Zafón trata das consequências da descoberta que Daniel Sempere fez sobre o passado misterioso, que envolve sua família [que teve como clímax a morte de sua mãe, a impetuosa Isabella que nos encantou em “O jogo do anjo”] e como sua insaciável busca por respostas se reflete na transformação do herói em um homem tragado pelo desejo de vingança que segue os passos de seu “possível” desafeto a fim de encontrá-lo e confrontá-lo; neste contexto entra em cena a bela, sexy e perigosa Alicia Gris que está em busca deste mesmo homem [que nos revoltou em “O prisioneiro do céu”] e dos motivos de seu inexplicável desaparecimento em Barcelona.

Até chegarmos aqui já percorremos um longo caminho de enigmas, portanto no IV livro as pontas soltas serão unidas em revelações impressionantes, com uma trama constante, inquietante e visceral. Algumas locações em Madri trazem uma variação ambiental, mas os labirintos barceloneses são o foco, afinal a grande personagem da saga é a Cidade de Barcelona, sua trágica história, grandiosa arquitetura, suas ruas labirínticas, lugares arcaicos e sombrios, os esqueletos esquecidos nas masmorras da ditadura. Assim convergimos ao “grand finale”, que une todas as histórias e coliga as inúmeras personagens.

Muito do que aconteceu nas prisões do Castelo de Montjuic será desvelado por Alicia, que é um misto de Mata Hari e “garota perdida”, que investiga o desaparecimento de Maurício Vall, atual ministro da cultura que no passado foi Diretor do presídio de Montjuic, portanto algoz de David Martin e de Fermín [O jogo do anjo e O prisioneiro do céu], logo provável assassino de Isabella, de acordo com as investigações solitárias de Daniel Sempere.

Mas nada é o que parece ser na trama, muitas reviravoltas, emboscadas em becos escuros, vilões despontam de onde menos se espera, muita aventura, ação, intriga, emoções a flor da pele, passionalidade. As pistas mais uma vez são aneladas a um dos livros esquecidos “O labirinto dos espíritos VII – Ariadna e o príncipe escarlate” de Victor Mataix, que por acaso é um dos livros favoritos de Julian Sempere, filho de Daniel e neto de Isabella, ou seja, tudo está ligado. Provando que a imaginação e o poder de associação de Zafón não têm limites.

São muitas emoções, personagens complexos e inesquecíveis que transitam da comédia de costumes ao gótico sombrio, inúmeras referências literárias nos fazem transitar em múltiplos sentidos para solucionar os mistérios propostos e o resultado disto é imersão total neste mundo mágico de escritores malditos, pois buscando o elo da verdade sobre os Sempere também nos perdemos no labirinto de uma Barcelona esquecida no tempo, repleta de história e de histórias.

“... seus passos para sempre perdidos no labirinto dos espíritos.”

Enfim, nada que eu diga fará jus a essa obra, pois trata-se de uma inigualável experiência sensorial.

Magnífico. Bravo! 

Série O Cemitério dos Livros Esquecidos



Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

4 comentários

  1. Rosem!
    Fiquei super curiosa, principalmente por ver que o livro não é nada do que parece, quando pensamos que é uma coisa, é outra e claro, os livros do autor trazem sempre um mistério policial que instiga.
    Ainda não li, mas bem quero.
    Semaninha de muita luz e paz!
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Estou louca para ler este livro!
    Sou super fã do Zafon, e quero ler logo o encerramento dessa saga incrível que ele criou.
    Bem legal todas essas reviravoltas e emboscadas, a imaginação do autor é mesmo incrível.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. tenho tanta vontade de ler algum dos livros do autor! além de fantástico as obras dele tem um poder de fixação na mente e no coração do leitor!

    ResponderExcluir
  4. Desde que conheci Zafón, por indicação de uma amiga, eu simplesmente me apaixonei por ele, quero fazer minha pequena coleção de seus livros, mesmo os infanto e com esse último não será diferente. Lendo a resenha e os comentários só deixam claro que será uma baita história

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!