[Resenha] Belas adormecidas

Belas Adormecidas - Stephen King e Owen King

Belas adormecidas - Stephen King e Owen King
Sinopse - Suma de Letras - 2017 - 728 páginas


O romance “Belas adormecidas”, de Stephen King em parceria com seu filho Owen King, é uma simbiose tão perfeita de ideias que somente uma análise profunda da escrita pode identificar quando a história está sob as mãos de King pai ou de King filho, de modo que podemos incluir ao legado de King mais uma grande obra: Owen King.

E digo isso porque em “Belas adormecidas” os King estão em absoluta forma, criaram com maestria um universo aterrorizante: um mundo opressivo, violento e exclusivamente masculino.

“Aurora não era um vírus, era um feitiço, e Evie Black não era como nenhuma outra mulher – nenhum outro humano – que já tivesse existido.”

Ambientada em Dooling, uma cidadezinha perdida nos montes apalaches, antigo centro de mineração agora decadente, a trama envolve a chegada de um ser sobrenatural por meio de um portal mágico, e um dos fatos bizarros que decorrem dessa anomalia é a síndrome nomeada “Aurora”, uma espécie de doença do sono que envolve em um casulo de mariposa as mulheres que adormecem, mas o pior desse encasulamento, é que se forem molestadas nesse sono encantado despertam como fúrias sanguinárias.

Entre as inúmeras personagens que surgem no decorrer do enredo [são duas páginas elencadas no início do livro], algumas recebem maior destaque apenas pelo contexto, como a Xerife Lila Norcross e seu marido, o psiquiatra do presídio feminino com sede na fronteira da cidade, Dr. Clint Norcross; o casal Geary [Frank e Elaine]; Evie Black; Willy Burke; Angel Fitzroy; Vanessa Lampley; Don Peters; Michaela Morgan, os irmãos Griner e a sensacional Raposa.

King pai e King filho criam um conto de fadas contemporâneo perverso que aborda a questão de gênero com uma neutralidade magistral, em um clima de caos crescente suas personagens aos poucos dissociam-se em sua natureza mais sombria. De modo que vilões revelam-se a cada capítulo conforme aumenta a crise, o egocentrismo e o extinto de sobrevivência.

Tenso, introspectivo, revelador, brutal...

A ação polariza-se entre a cidade e o presídio feminino onde “Evie Black, a única mulher imune”, está sob custódia do Dr. Clint Norcross e, tendo em vista que todos querem a resposta que tenciona o enredo desde o primeiro capítulo e Evie é a única que pode solucionar o dilema, o clímax emerge em um combate épico de forças nas fronteiras de Doling, ou seria do Paraíso? Afinal eles querem descobrir por bem ou por mal: o que realmente querem as mulheres?     

Perguntem à Raposa. Hahaha!
Excelente leitura!

Sorteio


Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras,
que liberou um exemplar do livro para sorteio!

Clique abaixo para concorrer (até 30/11/17):

 Promo de Niver: 6 anos de Arquivo Passional!

Aguardamos seus comentários! By.:.

8 comentários

  1. Rosem!
    Na verdade nem todos os livros do King (e de sua prole) são de terror, alguns são mesmo de ficção com um jeito de thriller psicológico e acredito que é o caso aqui do livro, onde há uma série de novas doenças, o conflito entre os sexos, os mistérios em relação aos assaddinatos e por aí vai.
    Gostei de ver que há uma introdução falando sobre as diversas personagens, o que deve facilitar o entendimento.
    Desejo uma ótima semana!
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! É um calhamaço!! Eu não sabia que era assim tão grande!!
    De qualquer maneira, adorei!
    Mas acho que este irei preferir em ebook, rsrs.

    Bjkssss

    ResponderExcluir
  3. Eu li apenas um do King que foi Carrie, embora tenha adorado achei um livro complicado de ler, cheio de indas e vindas. Este livro escrito por 2 mão não seria mais confuso ainda? Pareceu perturbador e cheio de suspense, mas acho que quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ler esse livro. Achei super interessante que ele foi escrito com o filho do King.
    Ele e Ligações Perigosas estão na minha lista. A forma que as personagem são construídas e número delas parece ser bem interessante.
    Teho certeza que não vou me decepcionar.

    ResponderExcluir
  5. Oi Elis.
    Fico imensamente feliz em saber que o Owen tem tanto talento quanto o pai, eu quero muito ler essa livro, a premissa me chamou bastante a atenção e apesar de ainda não ter lido nada do King, tenho muita curiosidade em conhecer sua escrita, e esse me parece ser um bom livro para começar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Sou super fã das obras do King, e quero muito poder ler essa parceria pai e filho que parece ter dado super certo.
    Eu sempre acabo criando grandes expectativas com os livros dele, mas gostei bastante de ter esse grande numero de personagens.
    Já estou ansiosa para comprar logo.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Rosem!
    Estou bem curiosa sobre esse livro do King, comecei a pouco a ler os livros do mestre do terror e agora quero muito ler essa obra fantástica dele. E essa edição é maravilhosa!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Estou doida pra ler esse livro, curto muito suspense e a escrita do mestre Stephen King, essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi isso tudo que foi dito aqui.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!