[Resenha] O Beijo Traiçoeiro

O Beijo Traiçoeiro - Erin Beaty

O Beijo Traiçoeiro - Erin Beaty
Sinopse - Editora Seguinte - 2017 - 440 páginas


Sage Flower vive com os tios desde a morte de seus pais, atua como tutora dos primos mais jovens e sonha em tornar-se aprendiz de alguma profissão digna, que lhe proporcione a mesma liberdade de pensar e se expressar que tinha quando seu pai ainda era vivo. A última coisa que pensa é em se casar, mas acaba de completar dezesseis anos e seu tio declara que esse destino se aproxima.

Porém Madame Rodelle, a maior casamenteira da região, observa Sage há tempos e tem planos de torná-la sua aprendiz. Assim, quando a entrevista marcada pela família de Sage entre ela e a casamenteira termina num fiasco, Madame Rodelle apresenta sua proposta à garota. Sage detesta o sistema de casamentos arranjados praticado pela sociedade e nunca sonhou em ir para o Concordium, um evento que acontece a cada cinco anos, onde as noivas selecionadas por Madame Rodelle são unidas em matrimônio a nobres solteiros. Sage também jamais cogitou ser casamenteira, mas está ficando sem opções e, se não aceitar ser a aprendiz de Madame Rodelle, terá que se casar.

Alexander Quinn é um militar recentemente promovido a capitão, cuja pressa e falta de paciência ao cumprir sua primeira missão com a nova patente gera uma punição: formar e liderar uma equipe de trinta e três homens, que fará a escolta armada das “noivas” de Crescera à capital, rumo ao Concordium. Mas por trás dessa missão aparentemente banal, Quinn recebe outra incumbência: espionar os movimentos e intenções do duque Morrow D’Amiran, que aparentemente está tramando algo, já que a fortaleza do duque fica num desfiladeiro posicionado exatamente no meio da rota do cortejo.

Durante a viagem, Sage atua disfarçada como uma das noivas escolhidas para o Concordium, para que possa transitar livremente, observar tudo e todos e ir anotando em seu caderninho, cujas informações serão usadas pela casamenteira para formar os futuros casais da melhor maneira possível. Na escolta comandada por Quinn também há vários elementos disfarçados, um deles é Ash Carter - o Rato -, que assume o papel de cocheiro para poder se misturar entre os criados dos locais por onde a caravana passa e assim poder identificar possíveis traidores ou esquemas ligados ao duque D’Amiran. É nessa condição de “disfarçados” que Sage conhece Carter e os dois começam a se relacionar. Mas, depois de mentir sobre suas identidades um para o outro, Sage e Carter precisarão se unir para enfrentar uma ameaça muito maior do que todos poderiam previr.

“O Beijo Traiçoeiro” é uma caixinha de surpresas, quando você pensa que já adivinhou tudo o que irá acontecer na história, PÁ!!! - uma surpresa. Além da história ser bem movimentada, fui pega desprevenida em relação aos personagens duas vezes durante a leitura, e acho que a autora fez de propósito rsrsrs... Da primeira vez, eu achei que não tinha prestado atenção e entendido determinado fato errado, por isso voltei vários capítulos atrás pra reparar meu erro de compreensão; da segunda vez pensei “Como não percebi isso antes?” e lá fui eu de novo voltar alguns capítulos para rever as pistas que haviam passado despercebidas por mim. Adorei esse jogo de esconde-esconde, Erin Beaty me enganou direitinho!

Há outros dois aspectos nessa história que geram reflexão: um deles, é que apesar das províncias de Demora serem governadas e protegidas apenas por homens, todos os casamentos socialmente aceitáveis são arranjados por casamenteiras, são elas que escolhem quem são os pares compatíveis, ou seja, são elas que detém o poder de formar boas alianças sociais e políticas, ou até mesmo de impedi-las. O segundo aspecto é que, apesar de todo o preparo da equipe do capitão Quinn, é a perspicácia de uma simples aprendiz de casamenteira que fornece à comitiva uma chance, diante da armadilha para a qual todos foram encaminhados.

Eu amei o casal protagonista, eles são adoráveis desde a primeira cena juntos, em meio ao caos entre disfarces e missões, foram ótimos em todas as fases de seu relacionamento. Essa história tem começo, meio e fim, o que por si só é um alívio, porque eu não conseguiria esperar para conhecer o destino desses dois! O enredo se desenvolve num ritmo crescente, que realmente se acelera muito antes do final, a partir de determinado ponto, é impossível largar a leitura. Essa é uma história divertida e surpreendente, adorei e recomendo!

Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! Beijos...

2 comentários

  1. Namoro este livro desde que ele foi lançado e já li muita coisa positiva sobre as letras da autora e da forma inteligente que ela conduziu todo o enredo.
    Adoro um bom romance, ainda mais quando tem por trás de tudo, toda uma história, um passado e claro, alguns segredos!
    Lerei assim que for possível!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Elis!
    Gostei muito de ver que além do romance, há todo um enredo de espionagem, traições, aventura e todo um enredo por traz, além de trazer uma protagonista forte, romântica e que ainda é suspeita de ser espiã, fiquei muito fascinada e quero poder ler.
    Sem contar que a capa é realmente linda!
    Bom domingo!
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!