[Resenha + Vasculhando] A Gruta Gorgônea

A Gruta Gorgônea - Lemony Snicket

A Gruta Gorgônea - Lemony Snicket
Desventuras em Série - Livro 11
Sinopse - Editora Seguinte - 2005 - 288 páginas


“A Gruta Gorgônea” foi o livro mais louco de “Desventuras em Série” até agora, dessa vez tivemos uma aventura aquática com direito a fungos super perigosos que crescem debaixo do mar, submarinos em formato de polvo e crianças escravizadas pelo malvado vilão Conde Olaf, que possui cada vez mais aliados.

Se unindo a antigos voluntários da organização C.S.C., os irmãos Baudelaire precisam encontrar um misterioso açucareiro antes do Conde Olaf, os jovens não sabem para o que serve, pois o capitão Andarré do submarino Queequeg que os está “ajudando” se recusou a contar, a única coisa que sabem é que o açucareiro é de extrema importância para a organização a qual os pais dos órfãos pertenciam.

Um grande diferencial desse livro foram as repetitivas, mas breves narrações que “Lemony Snicket” fez sobre o ciclo da água, assunto que o autor/personagem considera enfadonho, com o objetivo de fazer o leitor cochilar de tédio para não conseguir ler os terríveis acontecimentos haha, mas é tão engraçado que só me fez querer ler mais e mais para descobrir o que o autor queria tanto esconder.

Confesso que esse livro não trouxe tantas novidades à série, foi somente um obstáculo no caminho, houveram algumas partes que foram especialmente irritantes (culpa da Carmelita, pior personagem), mas gostei do volume mesmo assim, aprecio muito os irmãos Baudelaire e essa série que deixa tão curiosa que ignoro todas as partes negativas (que não são muitas) e continuo a ler!

Desventuras em Série


12. O Penúltimo Perigo
13. O Fim

Vasculhando em quotes


Vasculhando em quotes se trata de vasculhar um livro e separar quotes relativos a alguns assuntos (sem spoilers), para dar a vocês uma noção do clima da história através dos detalhes - aparentemente superficiais - que fazem toda a diferença no contexto geral.

Culinária


“As pessoas não são vis nem nobres. (...) Elas são como as saladas do chefe, com coisas boas e ruins misturadas num molho vinagrete de confusão e conflito.”

“Sunny (...) trabalhava com Phil sobre um grande caldeirão de sopa, cozinhando batatas e catando espinhas no bacalhau.”

“Para esta noite, a única sobremesa que temos é chiclete.”

“Sunny ainda era um pouco jovem demais para carregar comida quente sozinha, mas tinha encontrado um moedor de pimenta, e deu a volta na mesa para oferecer pimenta moída na hora para quem quisesse.”

“O bolo era todo glaçado, com pedaços de coco misturados na cobertura espessa e cremosa (...)”

Transporte


“O segundo submarino tinha a forma de um polvo gigante, com uma enorme cúpula de metal no lugar da cabeça e duas grandes vigias em vez de olhos. Um polvo de verdade, é claro, tem oito tentáculos, mas aquele submarino tinha muito mais.”

Moda


“Vocês jovens estão muito elegantes com esses capacetes.”

“Em volta de sua cintura, largo e cheio de babados, havia um tutu (...), e na cabeça ela trazia uma enorme coroa cor-de-rosa (...) Tinha duas asas rosadas grudadas nas costas com fita adesiva (...) e sapatos em vários tons de rosa (...) que faziam um desagradável ruído chapinhante quando ela andava.”

“(...) a vilanesca namorada confeccionara um vestido-polvo, com dois grandes olhos de plástico, seis mangas extras e ventosas espalhadas pelas botas (...).”

Cenário


“(...) parecia que o mundo se transformara em um mundo muito, muito escuro. Até onde a vista podia alcançar, havia redemoinhos cinzentos e pretos movendo-se como estranhas enguias na água sombria.”

“Poderiam ter notado o mosaico no chão da gruta – milhares e milhares de ladrilhos coloridos, retratando nobres eventos da história remota de uma organização secreta (...)”

“No topo do aclive de areia, os jovens percorreram com os olhos aquela sala pequena, mal iluminada, com paredes lisas de ladrilhos que pareciam úmidos e escorregadios, e um chão de areia coberto com uma variedade de pequenos objetos (...)”

Essa leitura foi uma cortesia da Editora Seguinte.
Aguardamos seus comentários! Beijos...

5 comentários

  1. mais um livro dessa série repleto de bons trechos! curiosa demais para ver as desventuras dos irmãos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sam!
    Achei que as pobres crianaças já tinham terminado sua cota de sofrimento, mas pelo visto, agora tiveram de enfrentar fungos e bactérias cubmarinas...
    Pena que não foi tão bom quanto você imaginava.
    Gostei da culinária...kkk
    “Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.” (Henry Ford)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Desaventuras em serie é sensacional

    ResponderExcluir
  4. Oi Sam.
    Eu quero muito ler essa série, mas já fico angustiada só de pensar em tudo que essas crianças vão passar e por isso ainda não criei coragem para ler. Adorei os quotes e achei legal trazer diferentes temas nele, como o vasculhando mesmo já propõem.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Oi Sam!
    Eu ainda não li nenhum livro dessa série...
    E achei bem interessante o jeito que o autor se refere ao próprio livro, kkkk
    Morrer de tédio...mas pelo jeito não é isso que acontece né?
    Pq eu q. não li já fiquei curiosa para saber como foi isso, já que vc falou que achou super divertido, kkkk...e que queria saber o q. o autor queria esconder, kkkk
    Ou seja...só quem realmente gosta de ler continua, kkkk
    Ótima resenha...ótimos trechos vc escolheu.
    Um super bjo!
    Alê

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!