[Resenha] O Tempo Desconjuntado

O Tempo Desconjuntado - Philip K. Dick

O Tempo Desconjuntado - Philip K. Dick
Sinopse - Editora Suma - 2018 - 272 páginas


Quem é apaixonado por ficção científica com certeza conhece a obra genial de Philip K. Dick, esse inventivo autor americano é um dos queridinhos de Hollywood com inúmeros trabalhos adaptados para o cinema como: “Agentes do destino”, “O vidente”, “Blade Runner - O caçador de androides”, “O vingador do futuro”, “Minority Report: A nova Lei” entre tantos outros e recentemente os seriados “O homem do castelo alto” e “Electric dreams”.

Em “O Tempo Desconjuntado”, Dick mais uma vez nos tira do lugar comum com a fantástica jornada de Ragle Gumm onde nada é o que parece ser, friccionando a premissa enunciada pelas teorias da conspiração na web: Será que nos somos parte de uma matrix?

Ambientada em 1959 em uma pitoresca cidade do interior da América, com aquela pitada de guerra fria, acompanhamos o cotidiano de uma família tradicional da época, com exceção de um de seus membros, Ragle Gumm, famoso por ser o vencedor do concurso do jornal local, diariamente ele resolve enigmas para solucionar a questão: onde está o homem verde? E ao final do mês quando ganha a charada, recebe seu cheque e figura mais uma vez na primeira página do jornal. De modo que o Sr. Gumm é conhecido como a celebridade da cidade.

Logo que iniciamos a trama, apesar de tratar-se de um cotidiano bem corriqueiro, já sentimos nas entrelinhas um clima de estranhamento, do tipo “Algo está fora da ordem”, sabe aquela sensação... pois é, isso é um dom nato do Dick, nos deixar com a “pulga atrás da orelha” e um pressentimento de que estamos prestes a entrar na toca do coelho e estamos mesmo.

Quando menos esperamos fatos bizarros passam a quebrar o padrão da “normalidade”, Gumm começa a fazer associações com esses fatos aleatórios de seu cotidiano, questionar sua vida e até a realidade. As situações no desenrolar do enredo são surpreendentes e hilárias, Dick nos fisga, logo estamos com Gumm duvidando de tudo e todos, tão ávidos quanto ele para solucionar o mistério, assim devoramos a leitura.

“De algum modo, por algum motivo, Ragle se percebeu transpondo a barreira do real. Alargando um buraco. Ou então tinha visto esse alargamento, talvez uma fenda se abrindo, um rasgo.”

As personagens são cativantes e tão estereotipadas que fica claro porque Dick já foi tão adaptado pelo cinema. June Black, Margo, Vic, Sammy, Bill são tão verossímeis que é como se olhássemos pela janela e víssemos nossos vizinhos atuando, sensacional.

Se o ritmo é lento no princípio, ao sermos apresentados ao enigma somos arremessados a uma corrida frenética repleta de obstáculos, Ragle Gumm tem um raciocínio lógico brilhante, é competitivo, está paranoico em busca de respostas, sua determinação não tem limite. Isso nos conduz a um final inimaginável digno de seu protagonista.
         
Aventura, mistério, conspiração, espionagem são o tempero desta viagem elétrica.

Surpreenda-se.

Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

7 comentários

  1. apesar de eu não ler tanta ficção científica confesso que a trama me atraiu bastante e gostaria de dar uma espiada
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Conheço o autor,mas ainda não li nada dele.
    Mas gostei muito da resenha, eu adoro esse gênero e essa coisa de mistério e espionagem me conquista.
    Sem contar toda essa conspiração.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  3. Oi, Rosem!
    Adoro um bom livro de ficção científica mas já tem um bom tempo que não leio nenhuma obra do gênero. E também infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler nada Philip K. Dick. Gostei bastante da história e torço para ler algum dia essa história maravilhosa.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Em relação a ficção cientifica estou totalmente por fora, tanto do autor quando desse livro. Nunca li esse gênero, como não gosto de filmes achei que também não iria gostar de livros. Acho o filme matrix uma viagem e essa como essa resenha estão muito além da minha capacidade ahahahah preciso evoluir.

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Conheço o autor e sempre leio muitas coisas interessantes sobre os livros dele e praticamente todas são positivas. Ainda não li nenhum livro dele, mas em breve irei mudar isso ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir
  6. Oi Rosem.

    Comentei no post vitrine do Companhia das Letras, q esse livro é um dos q precisaria ler resenhas pra decidir se queria ler ou nao, e sim, mais um livro para lista kkkk
    Eu gosto de ficção cientifica, mas nao é meu genero preferido, porem gosto de ver, confesso q achava ter lido algo, mas pelo q vi nao, so assisti mesmo e acabei confundindo as estações kkkk
    Gostei mais pelo fato de o protagonista ser inteligente, isso pra mim faz com q o leitor se coloque em seu lugar e passe a pensar da mesma forma q ele.
    As veze qndo leio algo q parece estar fora do lugar, volto um pouco pra ver ser nao me perdi, mas qndo me dou contar q faz parte da trama, me sinto a "espertinha" kkkkkkkkk
    Nunca li nada dele, acho q vou começar com esse, pra sair do obvio.

    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Apesar de ficção cientifica não ser muito minha praia, esse livro me lembrou muito a trilogia do matrix e fez com que me despertasse um certo interesse pela leitura. Deve ser um livro muito bom.

    ResponderExcluir

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!