[Resenha + Vasculhando] O Penúltimo Perigo

O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket

O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket
Desventuras em Série - Livro 12
Sinopse - Editora Seguinte - 2006 - 320 páginas


No penúltimo livro de “Desventuras em Série”, os irmãos Violet, Klaus e Sunny Baudelaire chegam ao Hotel Desenlace, o último lugar seguro para pessoas nobres da CSC, a misteriosa organização secreta. Dentro de um táxi na companhia de Kit, uma voluntária da organização, eles recebem a missão de trabalhar como concierges no Hotel enquanto observam os hóspedes com a finalidade de descobrir quem são os vilões e quem são os aliados.

Dentro de alguns dias haverá uma reunião entre membros da CSC e se o Hotel não for seguro para receber essa reunião, os Baudelaire terão que dar um sinal. Porém, dentro do Hotel os irmãos se deparam com antigos tutores e pessoas que em algum momento fizeram parte de suas desventuras, tanto pessoas boas quanto pessoas más, muitas os decepcionaram e eles não tem certeza em quem podem confiar nem conseguem entender as verdadeiras motivações por trás de cada um.

Foi muito interessante ver tantos personagens conhecidos reunidos num lugar só, e isso se mostrou bastante frustrante também. Todos pensam que os irmãos são assassinos devido a mentiras espalhadas pelos jornais e nem mesmo eles sabem dizer se ainda são pessoas nobres ou não por causa de algumas coisas que fizeram. Muitos hóspedes estão aliados ao Conde Olaf e outros tantos não confiam nos Baudelaire ou não fazem nada para ajudá-los.

Esse foi um dos livros mais reflexivos da série, me deu muito o que pensar. Foi legal o autor demonstrar o quão tênue é a linha entre o bem e o mal e que é complexo julgar uma ação de alguém em circunstâncias extremas. Gostei do questionamento dos protagonistas sobre tudo que os levou até aquele momento, se algumas ações não foram pérfidas tão quanto as ações de alguns vilões. Tudo é justificado mesmo havendo um nobre motivo por trás?

A narrativa continua sendo o charme central do livro, adoro os comentários do Lemony e até mesmo os seus spoilers sobre seu próprio livro, minhas partes preferidas são quando ele conta algo sobre si mesmo, como as dificuldades que passou ao escrever a crônica da vida dos Baudelaire ou alguma de muitas perseguições que já enfrentou.

O final do livro foi completamente inesperado e meio chocante, além de ser bem triste, mas esse foi o primeiro volume que eu não consegui parar de ler, terminei bem rápido mesmo sendo grandinho. Estou super ansiosa para o último volume, mas um pouco chateada pois a série vai terminar. Muitos mistérios ainda não foram solucionados, a cada passo dado retrocedemos dois e não tenho certeza se as respostas que buscamos serão realmente reveladas no próximo livro. De qualquer forma sei que ainda há muito por vir!

Desventuras em Série


13. O Fim

Vasculhando em quotes


Vasculhando em quotes se trata de vasculhar um livro e separar quotes relativos a alguns assuntos (sem spoilers), para dar a vocês uma noção do clima da história através dos detalhes - aparentemente superficiais - que fazem toda a diferença no contexto geral.

Culinária


“Havia três pães, cada qual assado em um formato diferente, enfileirados na frente de tigelinhas de manteiga, geleia e algo que parecia ser chocolate derretido.”

“Klaus serviu-se de um pouco de quiche e pegou uma bomba de creme.”

Transporte


“(...) o táxi continuou girando e rodopiando por entre os arbustos, e por alguns segundos os irmãos não viram mais nada além de um borrão verde, e não ouviram nada além do crepitar dos ramos que arranhavam as laterais do carro (...).”

Moda


“Violet afivelou um lustroso cinto prateado com as palavras HOTEL DESENLACE gravadas em grandes letras pretas em toda a volta (...)”

“Os óculos escuros eram tão grandes que escondiam não só os olhos como grande parte do rosto (...)”

“Vestia uma jaqueta em azul vivo, coberta de medalhas reluzentes do tipo que se dá aos militares, a qual estava desabotoada para revelar uma camiseta branca de proclamava o nome de um clube esportivo em letras azuis (...)”

Cenário


“Havia uma enorme fonte em um canto do salão, da qual jorrava uma cascata de água que escorria por cima do número 131 que estava gravado em uma parede lisa e lustrosa (...)”

Música


“Um homem de smoking, sentado a um piano de causa brasonado com o numero 152, tocava melodias tilintares para entreter quem se interessasse em ouvir (...)”


Essa leitura foi uma cortesia da Editora Seguinte.
Aguardamos seus comentários! Beijos...

Nenhum comentário

Postar um comentário

Esse espaço também é seu!
Vou adorar saber a sua opinião passional :)
Seu comentário será publicado em no máximo 24 horas.
Beijos!