[Resenha] O sentido da existência humana

O sentido da existência humana - Edward O. Wilson

O sentido da existência humana - Edward O. Wilson
Sinopse - Companhia da Letras - 2018 - 168 páginas


Edward O. Wilson figura como um dos mais expressivos e influentes biólogos da atualidade, professor da Universidade Harvard há quase 50 anos, e ganhador de dois prêmios Pulitzer. Em “O sentido da existência humana”, nos instiga a uma reflexão urgente e vital: Por que estamos aqui? Para onde estamos indo?

“Os avanços da ciência e da tecnologia nos levarão ao maior dilema moral desde que Deus deteve a mão de Abraão: quanto customizar o genótipo humano. Muito, pouco ou nada? Seremos forçados a tomar essa decisão porque nossa espécie começou a transpor o mais importante, embora menos investigado, dos limites da era tecnocientífica. Estamos prestes a abandonar a seleção natural, o processo que nos criou, para conduzir a evolução segundo a seleção volitiva – o processo de redesenhar a biologia e a natureza humana da maneira como as desejarmos.”

Ou seja, se ainda nem sabemos quem somos, quais os riscos a que estaríamos expostos com a possibilidade de manipulação da genética na criação do humano “perfeito”, sem ainda entender o sentido da existência humana confrontada com sua evolução?

Os paradigmas propostos por Wilson são profundos, inquietantes, e ensejam involuntariamente uma profunda reflexão sobre genética, psicologia comportamental, sociologia e antropologia. A humanidade parece tão encantada com as redes sociais que pouco tem se dado conta do quanto elas espelham um comportamento tribal, destrutivo e versado por um neoiluminismo desconexo com a realidade.

Temas como: seleção multinível [que atua fortemente na concorrência grupo a grupo], interesse antropocêntrico obsessivo, reconhecimento de padrões, necessidade de pertencer a um grupo que fale o mesmo dialeto e partilhe as mesmas crenças, a relação entre nossa sociedade e a sociedade das formigas, o conflito como meio de evolução social e criatividade; são abordados com habilidade sob a ótica de uma viagem através do tempo e entre espécies, por um brilhante contador de histórias reais.

Como não encantar-se com biodiversidade, a bioquímica dos feromônios e alomônios, a vida secreta das formigas em sua formidável engenhosidade, o comportamento cooperativo das bactérias, a comunicação das plantas, e o conhecimento que obtemos com essa interação.

As provocações de Wilson refutam a singularidade e mesmo a vida extraterrestre, no entanto prognosticam o colapso da biodiversidade de modo realista:

“... o impacto humano sobre a biodiversidade é um ataque a nós mesmos.”

No impactante tópico “Ídolos da mente”, faz uma análise do eterno conflito humano razão/emoção frente às propostas iluministas sobre instinto, religião/livre-arbítrio, e como a neurociência tem colaborado na ruptura de inúmeros paradigmas explicando o “antes” inexplicável. Sugerindo algumas pistas porque a mente humana sempre foi e ainda é considerada uma floresta profunda e repleta de surpresas.

Enfim uma leitura instigante que nos faz refletir sobre como nossas origens podem sabotar nossa evolução se continuarmos presos a destrutivos comportamentos ancestrais e moldes tribais hereditários.

Excelente conteúdo.

Essa leitura foi uma cortesia da Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.

Sorteio "Os números do Amor" (Helen Hoang)


Olá Amigos Passionais! O Arquivo Passional está comemorando 7 anos de existência e, em parceria com a Editora Paralela, traz o sorteio do livro "Os números do Amor", de Helen Hoang, um romance super sexy e fofo ao mesmo tempo! Confiram a resenha da Elis AQUI e participem:

Regulamento
1) Ter um endereço de entrega no Brasil, deixar um comentário nessa postagem e preencher corretamente o formulário Rafflecopter.

Chances Extras
Seguir o Arquivo Passional no GFC
Comentar na Resenha de "Os números do Amor"
Comentar nas Postagens de Agosto a Novembro de 2018
Curtir o Arquivo Passional e a Editora Paralela no Facebook
Seguir o Arquivo Passional e a Editora Paralela no Twitter
Adicionar no Google+  | Compartilhar a Promoção | Twittar a frase promocional

Inscrições até 30/11/18 * Resultado até 05/12/18

O vencedor será avisado por e-mail e terá 72 horas para retornar o contato. O prêmio será enviado pela EDITORA PARALELA em até 60 dias. Será responsabilidade do ganhador fornecer seu endereço corretamente e assegurar-se de que haja alguém em casa para receber a encomenda. Não nos responsabilizamos por danos, demora ou extravios durante o transporte. Esta atividade é de caráter exclusivamente cultural e a participação é voluntária e gratuita. Ao se inscrever, o participante declara concordar com as regras aqui descritas.

Boa sorte e beijos!

[Resenha] Os números do Amor

 Os números do Amor - Helen Hoang

Os números do Amor - Helen Hoang
Sinopse - Editora Paralela - 2018 - 280 páginas


Stella tem trinta anos, é super inteligente e bem sucedida profissionalmente. Já no âmbito pessoal, possui uma grande dificuldade em se relacionar com as outras pessoas. Ela é sincera demais, totalmente sem filtro e tem resistência a ser tocada. Com a mãe pressionando para que a filha “arranje alguém”, e após um conselho babaca de um colega de trabalho, Stella resolve contratar um acompanhante profissional que lhe ensine a namorar e se “destravar” para o sexo.

Michael é um cara dedicado à família e ajuda a mãe a tocar uma lavanderia, que também faz consertos de roupas. Seu sonho é ser estilista e pôr em prática todo o seu talento para a moda. Mas às sextas-feiras Michael trabalha como acompanhante, emprego que lhe garante o pagamento de dívidas familiares. Normalmente suas clientes são mulheres mais maduras, por isso jamais poderia imaginar que sua próxima cliente seria uma mulher tão jovem, linda e doce quanto Stella.

Inicialmente, Michael não entende porque Stella o contratou, porém logo percebe a dificuldade que a moça tem em lidar com os toques físicos mais básicos, como um abraço ou um beijo. Quando Stella lhe propõe um acordo longo e exclusivo, o impulso inicial de Michael é negar, pois sabe que sair com a mesma cliente diversas vezes pode ser encrenca. Só que ele não consegue deixar de ajudar Stella a tentar descobrir o prazer que uma relação sexual pode proporcionar a um casal. Três encontros são acordados, e a partir daí podemos imaginar como esses dois ficarão enrolados...

“Os Números do amor” é uma história quente, e ao mesmo tempo bastante sensível. Stella possui Síndrome de Asperger, um Transtorno de Espectro Autista, e para ela viver novas experiências, sair da rotina, tocar e ser tocada são verdadeiros desafios. No começo, Michael não sabe sobre a condição de Stella, mas ele é um cara tão paciente, carinhoso e calmo, que acaba lidando muito bem com as dificuldades dela.

As cenas do casal acabam sendo de total descoberta, tanto para ele quanto para ela, cheias de carinho e tesão, que não é aliviado logo de cara, afinal o caminho de Stella para o prazer precisa ser percorrido lentamente. É difícil encontrar um livro com conteúdo adulto que seja tão sexy e fofo ao mesmo tempo, tive essa sensação durante toda a leitura.

Vocês devem estar se perguntado o que os “números” do título do livro têm a ver com a história. Lembram que eu disse lá no começo da resenha que a Stella é ótima no trabalho? Ela é uma econometrista (profissional formada em econometria que utiliza a estatística aplicada e análise de dados para interpretar ou pressupor questões econômicas). Stella é uma especialista em algoritimos de previsão de consumo, eu adorei conhecer essa profissão, e até meio que “pirei” nela!

Outra coisa que curti na leitura, foi que os personagens me pareceram bem verdadeiros, principalmente Stella, e isso com certeza se deve ao fato da própria autora ter sido diagnosticada com Síndrome de Asperger, ou seja, através de sua protagonista, Helen Hoang nos apresenta uma maneira específica de pensar e agir, nos dando um vislumbre de como seria esse universo particular. A família de Michael também é um fator importante no enredo, acompanhar o “entrosamento” da Stella com eles foi super legal. Adorei e recomendo!

Em comemoração ao Aniversário de 7 anos do Arquivo Passional,
Editora Paralela liberou um exemplar do livro para sorteio!!!
Clique abaixo e participe:

 Sorteio "Os números do Amor" (Helen Hoang)
Sorteio "Os números do Amor" (Helen Hoang)

Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras
Aguardamos seus comentários! Beijos...

Sorteio "Celular" (Stephen King)


Olá Amigos Passionais! O Arquivo Passional está comemorando 7 anos de existência e, em parceria com a Editora Suma, traz o sorteio do livro "Celular", de Stephen King, uma jornada repleta de perigos, descobertas e aventura! Confiram a resenha da Rosem AQUI e participem:

Regulamento
1) Ter um endereço de entrega no Brasil, deixar um comentário nessa postagem e preencher corretamente o formulário Rafflecopter.

Chances Extras
Seguir o Arquivo Passional no GFC
Comentar na Resenha de "Celular"
Comentar nas Postagens de Agosto a Novembro de 2018
Curtir o Arquivo Passional e a Editora Suma no Facebook
Seguir o Arquivo Passional e a Editora Suma no Twitter
Adicionar no Google+  | Compartilhar a Promoção | Twittar a frase promocional

Inscrições até 30/11/18 * Resultado até 05/12/18

O vencedor será avisado por e-mail e terá 72 horas para retornar o contato. O prêmio será enviado pela EDITORA SUMA em até 60 dias. Será responsabilidade do ganhador fornecer seu endereço corretamente e assegurar-se de que haja alguém em casa para receber a encomenda. Não nos responsabilizamos por danos, demora ou extravios durante o transporte. Esta atividade é de caráter exclusivamente cultural e a participação é voluntária e gratuita. Ao se inscrever, o participante declara concordar com as regras aqui descritas.

Boa sorte e beijos!

[Resenha] Celular

Celular - Stephen King

Celular - Stephen King
Sinopse - Editora Suma - 2018 - 384 páginas


Mais uma vez King faz uso de sua regra mestra: transformar o aparentemente inofensivo cotidiano em um cenário de horror. É deste modo que em “Celular” nos vemos diante de um ataque bio terrorista indeterminado, mediado por celulares, que afeta o cérebro de milhares de usuários tornando-os insanamente selvagens.   

“- Por volta das três da tarde, uma organização terrorista, talvez até um governo de meia-tigela, gerou um tipo de sinal ou pulso. Por ora temos que supor que esse sinal foi transmitido por todas as operadoras de celular do mundo.”

Em Boston, Clay Riddell, um jovem escritor de HQs acaba de fechar seu primeiro grande contrato e acredita que sua sorte está mudando, é sob o ponto de vista de Clay que vemos a abrupta transformação do mundo em um sangrento e incompreensível apocalipse: Em uma bela tarde os humanos foram reduzidos a seus instintos básicos.

“… o mundo como ele havia sido antes era uma lembrança.”

Em sua fuga pela sobrevivência nas tumultuadas ruas de Boston, Clay encontra Tom e Alice que também não portavam celulares no momento do pulso, deste encontro surgem laços indestrutíveis. E esses três mosqueteiros estão prestes a vivenciar a maior aventura de suas vidas.

Sem eletricidade, as pessoas que resistiram ao ataque - os “Normies” - tentam sobreviver aos “fonáticos”, que atacam durante o dia reúnem-se em hordas a noite sob o som de música pop bem aos moldes caóticos de King, hahaha! Clay, Tom e Alice partem armados até os dentes rumo ao Maine, sempre à noite, na esperança de que a esposa de Clay e seu filho tenham sobrevivido ao “pulso” e ainda estejam vivos.

“... quando as estrelas aparecem é a nossa vez. Somos como vampiros. Fomos banidos para a noite. De perto nos reconhecemos... por conta das mochilas e das armas que cada vez mais de nós carregamos; porém, à distancia, a única garantia é a luz oscilante de uma lanterna. Há três dias dominávamos a Terra... Agora somos o Povo das Lanternas.”

Trata-se de uma jornada repleta de perigos, descobertas e aventura. As personagens são envolventes e esbanjam conhecimentos em suas reflexões sobre a natureza humana principalmente após unirem-se a Charles Ardai e Jordan, hábeis em reconhecimento de padrões, neste ponto temos uma reviravolta na trama porque as coisas esquentam pra valer, e surge o medonho antagonista: O esfarrapado.

“KASHWAK=SEM-FO”

Apesar da dedicatória de King para Richard Matheson e George Romero, a trama não se resume a  uma simples releitura de “zombies”, a violência primal é um reflexo para tratar de temas de semelhante complexidade como relacionamento, companheirismo, resiliência, perseverança e fé.

“POR FAVOR VENHA ME BUSCAR. Eu te amo de todo coração.”

A cada novo livro King deixa mais claro que ele não escreve sobre monstros, mas sobre pessoas.

E se a sua próxima ligação fosse… “reiniciando”?
King Forever!

Em comemoração ao Aniversário de 7 anos do Arquivo Passional,
a Editora Suma liberou um exemplar do livro para sorteio!!!
Clique abaixo e participe:
Essa leitura foi uma cortesia do Grupo Companhia das Letras.
Aguardamos seus comentários! By.:.